A TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, já está realizando exportação de celulose por meio de navios break bulk, que fazem o transporte de carga não conteinerizada. A primeira operação ocorreu no início de janeiro para atender fábrica localizada em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. A previsão é que sejam movimentadas 10 mil toneladas do produto que têm como destino a Ásia somente nesta operação.

Juarez Moraes e Silva, diretor Superintendente e Comercial da TCP, destaca que a movimentação da celulose nesta configuração torna a operação até 20% mais em conta para o exportador, se comparado ao valor praticado por outros Portos brasileiros. “A TCP oferece ao exportador a armazenagem da carga em zona primária, diminuindo a distância do armazém até o cais. Com isso, diminuímos o número de elos improdutivos da cadeia logística envolvidos na operação de traslado da carga, o que torna a operação menos onerosa e muito mais produtiva, estabelecendo Paranaguá como uma alternativa para o mercado de celulose break bulk, Paranaguá vem se constituindo um polo logístico de escoamento da celulose nacional¨, explica.

Outro diferencial importante, é a disponibilidade de cais que a TCP oferece, em virtude dos investimentos constantes realizados na ampliação e modernização do terminal. “A infraestrutura do Terminal permite manter em dia as janelas de atracação dos navios porta contêineres, permitindo agregar novas operações e aumentar nossa oferta de serviços. Além disso, contamos com uma equipe altamente treinada e qualificada, além de equipamentos de última geração, operando 24 horas por dia. Com a alta produtividade, os navios que atracam em Paranaguá são operados no menor espaço de tempo possível, diminuindo ainda mais os custos para o exportador, muito sensível em operações break bulk”, afirma Moraes e Silva.

Semanalmente, o Terminal de Contêineres de Paranaguá recebe mais de 15 navios, com rota para países das Américas, África, Ásia e Europa e que utilizam Paranaguá para carga e descarga de produtos de importação e exportação.