Saiba mais sobre o dia do importador e dica para este profissional alcançar o sucesso

29/10 – dia do importador: um dos principais agentes do comex

Parabéns! Uhul! Hoje é um dia dedicado especialmente para uma das figuras fundamentais para a movimentação do comércio exterior: o importador! Você, que ajuda a movimentar a economia trazendo de outros países produtos, matérias primas, tecnologia e muito mais. Dia 29 de outubro, data para celebrar um dos principais agentes do comex!

Agora, se você é importador, continue lendo com a gente esse artigo!

Se você não é… Continue acompanhando também. Quem sabe conhecendo mais, pode se animar em atuar nesse cenário também. 

29/10 – dia do importador: um dos principais agentes do comex

Parabéns! Uhul! Hoje é um dia dedicado especialmente para uma das figuras fundamentais para a movimentação do comércio exterior: o importador! Você, que ajuda a movimentar a economia trazendo de outros países produtos, matérias primas, tecnologia e muito mais. Dia 29 de outubro, data para celebrar um dos principais agentes do comex!

Agora, se você é importador, continue lendo com a gente esse artigo!



Se você não é… Continue acompanhando também. Quem sabe conhecendo mais, pode se animar em atuar nesse cenário também. 

Qual é a origem do dia do importador?

O dia do importador nasceu há 30 anos, em 1992, quando o Brasil retirou a “lei de reserva de mercado”, que impunha várias restrições sobre as importações. Esse cenário dificultava muito a entrada de produtos de outros países dentro do território nacional. Consequentemente a economia sentiu o impacto.

A princípio, a lei foi criada e sancionada com o objetivo de fomentar a indústria nacional, focando no que era produzido dentro do Brasil e eliminando possíveis concorrentes externos. 

A medida foi publicada no final do governo militar e determinava a proibição da importação de bens e tecnologia por oito anos. Porém, enquanto estava vigente, não se mostrou eficaz para a economia e desenvolvimento do país.

Foi a partir da queda da legislação que o dia do importador passou a ser celebrado. Desde então é uma data para comemorar e homenagear o quanto são importantes para a economia aqueles que atuam no comércio exterior nesse segmento. 

Por que o importador é tão importante?

O importador é a pessoa que pode promover a entrada de produtos, bens e mercadorias estrangeiras de um país de fora para o território nacional. Traz do exterior. É um dos responsáveis por ajudar no giro da economia e desenvolvimento do país que importa. 

Afinal de contas, nenhum país produz sozinho tudo aquilo que consome. 

Justamente por estar ligado a toda essa cadeia produtiva nacional, o importador exerce um papel de fundamental importância e responsabilidade. 

Responsabilidades do importador

As responsabilidades e definições das obrigações do importador estão amparadas em normas internacionais. 

Os Incoterms são exemplos. Ao todo, são 11 documentos que vão ajudar a direcionar os trâmites que devem ser realizados dentro do mercado do comércio exterior. 

São extremamente necessários para que uma boa gestão seja feita e a logística aconteça da forma mais bem sucedida possível para ambas as partes. 

O conjunto de termos são de amplo conhecimento de quem já atua no setor. Podem ser consultados a qualquer momento e especificam de maneira clara as responsabilidades de cada uma das partes envolvidas no processo de negociação internacional. 

Como por exemplo, quem deve pagar o frete e seguro, qual o ponto de entrega de uma mercadoria, entre outras ações.

Especificamente relacionada ao importador — aquele compra os produtos e traz de fora — os grupos dos Incoterms E, F e C dispõem sobre local de partida, transporte principal não pago e ainda sobre o transporte principal pago. 

Veja mais:

Grupo E

O EXW (Ex Works) exige apenas que o vendedor disponibilize a mercadoria no local e data combinados e marcados. Os custos serão do comprador. 

É um documento bastante genérico que é utilizado em muitos casos de transações comerciais.

Grupo F

  • FCA (Franco Transportador ou Livre Transportador), em que o vendedor se encarrega do desembaraço aduaneiro e entrega a mercadoria
  • FAS (Livre no Costado do Navio), em que o vendedor deve posicionar a mercadoria no cais do porto de embarque e efetivar o desembaraço
  • FOB (Livre a Bordo do Navio), em que o exportador entrega a mercadoria no porto designado e atende às obrigações do processo.

Grupo C

  • CFR (Custo e Frete), em que o vendedor paga as despesas apenas até a acomodação da carga no navio
  • CIF (Custo, Seguro e Frete), no qual todas as despesas ficam por conta do vendedor até a chegada ao local designado
  • CPT (Transporte Pago Até), em que o vendedor arca com o frete somente até o destino acordado e
  • CIP (Transporte e Seguro Até), em que o frete e o seguro são pagos pelo vendedor até o local final.

Devido a tantas pontuações, muitos optam por abrir empresas especializadas em importação para terceiros. 

Assim, podem otimizar esse papel que desempenham e — para quem está começando a entrar no comex — pode ser uma alternativa interessante, principalmente para evitar perda de tempo, dinheiro e dor de cabeça. 

Principais desafios para os importadores

Nem tudo é tão simples quanto parece. Quem está à frente de importações sabe bem que existem uma série de desafios para que a logística seja funcional e sem problemas ou prejuízos. 

Abaixo listamos alguns dos principais:

Modais de transporte

Os modais são os transportes utilizados para que as mercadorias e bens possam ser levados do país de origem ao destino. 

Os principais são aéreo, marítimo, rodoviário e ferroviário. O grande desafio, em questão, é garantir a integração entre os modais (evitando atrasos na entrega)

Além de economizar, poupando custos e tendo o produto em perfeitas condições durante a logística internacional (com a responsabilização caso, eventualmente, aconteça algum imprevisto). 

Choque cultural

O possível choque cultural durante as negociações entre fornecedores e compradores, já que são de diferentes países e vivem culturas diferentes, também é um desafio na importação. 

Por isso, é de grande importância que seja analisada e conhecida a cultura, costumes e formas de negociação mais comuns realizadas em cada país. 

Além, é claro, da criação de um sólido contrato internacional.

Segurança no transporte internacional

O deslocamento e todo o processo que envolve o comércio exterior necessita de muito respaldo e segurança. Justamente o motivo que o torna um verdadeiro desafio para o importador.

Por isso, é importante destacarmos aqui que nunca é demais investir em segurança. Uma opção interessante é a contratação de seguros extras, que ofereçam coberturas para incidentes com cargas, extravios e até avarias. 

Leia também: Seguro internacional: como funciona?

Infraestrutura de portos e aeroportos

Durante a logística — entre exportador e importador — o produto pode passar por diferentes modais, entre eles aéreo e marítimo. 

Ambos são alvos de reclamações dos importadores brasileiros devido a precariedade e falta de estrutura. Entre elas a superlotação de contêineres e armazéns vazios. 

No Brasil, a média é de que as mercadorias fiquem estocadas de 2 a 3 vezes mais tempo que em outros países com estruturas para esses modais.

Outras reclamações apontam para a falta de fiscais da Anvisa na inspeção e na grande quantidade de documentos exigidos durante o desembaraço aduaneiro.

Fatores que dificultam ainda mais o trâmite da mercadoria nos referidos espaços. 

Complexidade da legislação tributária e outras normatizações 

Esse é um desafio e tanto para os importadores! No Brasil são 26 estados e mais o Distrito Federal, cada um com sua legislação tributária. 

Esse já é um fator de complicação dos grandes quando pensamos em importações. Além disso, o Governo Federal, através do Ministério das Relações Públicas, emite cerca de 3 novas instruções normativas por dia para regulamentar o comércio exterior. 

Isso sem contar os impostos como IPI, PIS e COFINS, por exemplo. 

Classificação, enquadramento e nomenclatura

Ainda por cima, os importadores precisam entender que cada um dos produtos importados possui uma classificação e é taxado de uma forma.

Leia também: Entenda a importância da correta classificação fiscal de mercadorias

Assim, é necessário enquadramento dentro de uma determinada situação, como normas sanitárias e fiscais. 

Importante dizermos aqui que, por exemplo, caso uma empresa busque um NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) e o número esteja equivocado, a empresa precisará pagar uma taxa com 1% a mais dos custos sobre o valor da importação. 

O que representa outro grande desafio para os importadores.

Tanto que uma pesquisa recente da Confederação Nacional da Indústria apontou que 28% dos entrevistados temem sofrer sanções por classificações incorretas de produtos de importação.

O que garante o sucesso para os importadores?

Não existe uma receita ou fórmula mágica para ser um bom importador e ter muito sucesso. 

Mas é possível, sim, ter um bom desenvolvimento na profissão se aperfeiçoando, investindo e trabalhando duro e apostando na tecnologia. 

É o dia a dia e o próprio trabalho que vão trazer o sucesso. 

Dito isso, confira algumas boas práticas que podem ajudar os importadores a alcançar o sucesso:

Entender a demanda dos produtos que serão importados

São muitos os itens que podem ser importados. Portanto, é necessário que o importador se certifique e entenda do que está tratando. 

Se o produto precisa de alguma certificação específica, licença de exportação ou algum cadastro em órgãos como Ministério da Agricultura e Anvisa, por exemplo. 

Saber da sazonalidade, variação cambial e barreiras que limitam as importações também são diferenciais para evitar prejuízos financeiros e dores de cabeça. 

Quanto mais souber e entender, mais fácil vai ser lidar com a demanda. 

Negociar com bons fornecedores

É preciso que o importador pense no que é bom para os dois lados. Portanto, desenvolver parceria com bons fornecedores é uma das chaves para sucesso na transação comercial. 

Ambos vão administrar melhores condições comerciais, adequando ao que pode encaixar melhor na conta. Saindo do famoso “compra e venda”, apenas. 

Investir no controle e melhoria contínuos

A importação de um produto é remetida em diferentes fases. Por isso é inteligente que o importador consiga desenvolver ferramentas que possam facilitar o monitoramento em cada uma delas. 

Sempre, é claro, buscando opções logísticas com mais flexibilidade. 

O mercado internacional muda a todo momento, estar atualizado é diferencial necessário para acompanhar tendências e melhorar fluxos de importações também. 

Uma dica é criar medidores de desempenho, visando melhorar sempre. 

Monitorar o transporte da sua importação

Inúmeras etapas fazem parte do transporte do produto importado. No mar, no céu e até na estrada. 

É sempre bom ficar atento com o percurso da carga para, em caso de algum imprevisto, já saber como lidar com a adversidade da melhor forma possível. 

Tudo para amenizar os impactos de possíveis prejuízos no orçamento.

Quais são as soluções Logcomex para importadores? 

Sempre pensando em aumentar o controle sobre os processos, a praticidade no acesso a informações de mercado, aumentar o poder de negociação e em embasar uma tomada de decisão dos importadores, a Logcomex fornece diversas soluções.

Conheça cada uma delas:

LogManager 

Tenha visibilidade avançada de todos os seus embarques em uma única plataforma. Além de ter custos operacionais 20% menores e tempo de desembaraço aduaneiro até 40% mais ágil.

O LogManager permite que os importadores:

  • Façam o monitoramento dos status das suas cargas em tempo real 
  • Recebam alertas de atualização automáticos para cada etapa do processo
  • Recebam notificações sempre que alguma das suas cargas estiver em risco
  • Acessem relatórios intuitivos e personalizados.

Clique aqui para saber mais sobre o LogManager e preencha o formulário na página para agendar sua demonstração totalmente gratuita.

Automação 

Esta plataforma da Logcomex garante a automação segura de processos que otimiza sua operação. 

A Automação da Logcomex viabiliza aos importadores:

  • Fazer a gestão completa de DIs e LIs
  • Automatizar a averbação de importação
  • Consultar a árvore CE completa
  • Acessar dashboards intuitivos com dados chaves
  • Ter uma calculadora de restituição Siscomex.

Quer saber mais sobre o LogManager? Acesse este link e preencha o formulário na página para solicitar uma demonstração grátis.

Search Importação 

Com o Product Search Import, os importadores podem analisar o mercado de importação e acessar informações estratégicas para basear suas decisões e aumentar seu poder de negociação.

Esta plataforma da Logcomex favorece que os importadores: 

  • Analisem a procedência de mercadorias por NCM
  • Consultem preços, rotas, tendências e variações ao longo do tempo
  • Avaliem sua competitividade em relação ao mercado.

Clicando aqui, você encontra mais informações do Product Search Import e as formas como ele beneficia os importadores. 

Ao preencher o formulário da página, você pode agendar uma pesquisa guiada com a sua principal NCM importada.

Se quiser, você também pode experimentar nossa ferramenta gratuita, que traz dados históricos das NCMs. Teste agora: é grátis!.

Big Data Importação Marítima 

Com o Big Data Importação Marítima, os importadores acessam informações atualizadas dos embarques marítimos importados no Brasil. Além de analisar dados da concorrência, monitorar seu market share e aprimorar seu processo comercial.

Com ele, é possível fazer:

  • A prospecção de clientes ideais
  • Uma análise do posicionamento de mercado
  • A identificação de novos parceiros. 

Acesse este link para saber mais sobre o Big Data Importação e preencha o formulário na página para solicitar sua demonstração gratuita.

E aí, qual das soluções da Logcomex é a melhor para apoiar o sucesso das suas importações? Conta para a gente aqui nos comentários!