Nesse dia da moda, confira dados da importação de roupas da China

Dia da moda: dados da importação de roupas da China

Com o mundo cada vez mais globalizado e com a facilidade da internet, países do outro lado do mundo se tornam grandes parceiros comerciais. Isso permite a busca por ofertas de produtos que sejam mais vantajosas. A China, por exemplo, trabalhou muito para que seus produtos ganhassem grande parte do mercado mundial e hoje é o maior país exportador do mundo — inclusive de moda. Pensando nisso, resolvemos criar este artigo para explicar porque a importação de roupas da China é tão atrativa e como entrar neste mercado tão disputado correndo o mínimo de riscos.

Dia da moda: mercado, desafios e tendências

No primeiro semestre de 2022, o setor de vestuário enfrentou seu maior desafio: o aumento nas taxas de inadimplência e a inflação que impactam a aquisição de matérias-primas e a venda do produto ao consumidor final.

Apesar dos desafios que o mercado reserva para o segundo semestre, há diversas oportunidades em ascensão.

Só para exemplificar, o segmento deu início ao ano com expansão no mercado online, com destaque para vestuário e calçados (particularmente tênis esportivos). Com destaque para o segmento plus size, que já abarca 25% do mercado de vestuário no país e continua em progresso. 

Enquanto novas demandas emergem e certos nichos indicam crescimento, a indústria da moda nacional tem a oportunidade de expandir seus lucros com as datas comemorativas e a Black Friday no segundo semestre. Assegurando, com isso, sua contínua evolução até o término de 2023.

Como é a importação de roupas da China?

Se neste dia da moda, você se interessou em ingressar no ramo, primeiramente, é importante lembrar que é fundamental ter planejamento. Isso desde a análise dos fornecedores até a liberação do desembaraço aduaneiro.

Após definir o produto e realizar a compra, chega o momento de fazer a classificação fiscal das roupas a serem importadas — com o objetivo de conhecer os tributos que incidirão na operação e tratamento administrativo adequado, evitando prejuízos ou atrasos no momento do desembaraço aduaneiro.

A classificação fiscal de roupas (suéteres, camisas, blusas, camisetas, bermudas) tem como base os Capítulos 61 e 62 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM). Sua tributação tem as mesmas alíquotas de impostos, que são:

  • Imposto de Importação (II): 35%
  • PIS (Programa de Integração Social): 2,10%
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados): 0,0%
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social): 10,65%.
  • + o valor do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) correspondente ao Estado do Importador.

O tratamento administrativo das NCMs citadas mostra a necessidade da emissão de Licença de Importação (LI) para algumas roupas. Mas, são bem poucas, uma vez que o governo tem eliminado, recentemente, cada vez mais as exigências de licenças.

A emissão da LI e seus procedimentos são de acordo com o órgão anuente responsável. Podendo tanto ser o DECEX (Departamento de Operações de Comércio Exterior) como o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Por que as roupas são mais importadas da China?

A China é uma potência industrial em muitos setores e o têxtil é um deles. Como a população do país é muito grande, cerca de 1,4 bilhão de habitantes, a mão de obra se torna abundante e, assim, barata.

A somatória de matéria-prima barata mais a mão de obra acaba se tornando quase imbatível quando o assunto é o preço das roupas fabricadas. O que justifica a preferência pela importação de roupas da China.

Leia mais: Importação da China: como está o cenário?

Outros fatores que contribuem para que consigam oferecer valores tão baixos são:

  • Leis trabalhistas mais flexíveis
  • Incentivos tributários
  • Desvalorização da moeda frente ao dólar
  • Leis ambientais frágeis.

Há algum tempo era comum pensar que as roupas fabricadas na China fossem falsificadas ou de má qualidade, mas já faz alguns anos que grandes marcas de renome mundial têm suas peças fabricadas pelos chineses.

Justamente por isso a indústria têxtil na China só faz crescer e os fabricantes já se atualizam em direção da automação e da produção inteligente por meio da tecnologia.

Justamente por isso a indústria têxtil na China só faz crescer e os fabricantes já se atualizam em direção da automação e da produção inteligente por meio da tecnologia.

Como analisar o mercado de Importação de roupas da China?

Quer virar um importador de roupas da China? Então saiba que, apesar de parecer fácil, é bastante desafiador se manter no mercado. 

Por isso, para suas operações serem um sucesso contínuo é necessário iniciar com uma análise de mercado consistente e realista. E nisso, você pode contar com a Logcomex como aliada!

Confira nossas dicas:

Tipo de matéria-prima

Na fabricação de roupas existem algumas matérias-primas que precisam ser definidas para facilitar a análise de mercado e planejamento da importação. Principalmente o tipo de malha (algodão, lã, fibras sintéticas, entre outras).

Além disso, ao usar a plataforma da Logcomex, você também pode pesquisar mercadorias alternativas às que você tinha definido inicialmente, consultando preços e tributação.

Confira detalhes das NCMs de roupas importadas da China
Confira detalhes das NCMs de roupas importadas da China
Confira os impostos para cada NCM das roupas importadas da China
Consulte os impostos para cada NCM das roupas importadas da China

Pesquisa de fornecedores

Ter bons fornecedores é essencial para que o seu negócio prospere. Atualmente com as tecnologias e informações disponíveis na internet não é preciso atravessar o planeta para descobrir as qualidades ou os defeitos do fornecedor.

Usando a Logcomex, por exemplo, você acessa uma lista de fornecedores, podendo avaliar suas operações no Brasil, quais outras empresas atende e preços que ele pratica.

Assim, você pode escolher o que atende melhor aos seus objetivos ao importar roupas da China. 

Concorrência

Você precisa conhecer como seus concorrentes fazem negócios, o perfil deles, a matéria-prima que utilizam e como fazem suas logísticas.

A Logcomex também fornece informações valiosas sobre os demais players do mercado que importam o mesmo produto que você (ou que sua empresa pretende importar).

Assim, você pode aumentar sua competitividade tendo dados estratégicos sobre a operação deles no mercado e como sua marca pode se posicionar.

Basta fazer uma pesquisa pelo nome da empresa, que você terá acesso a dados valiosos, como quanto eles estão importando (em valor FOB e em peso), quanto estão pagando de frete e seguro. Bem como de onde têm importado, quais suas tendências de importação ao longo do ano, quais modais utilizam e mais.

Embalagem, frete e logística

Essa etapa não pode faltar quando se trata de importar roupas da China. Afinal, nela você irá analisar os riscos que existem com a mercadoria que irá importar, como funciona o frete e a logística em outro país, além de verificar o tipo de embalagem dos produtos.

Aqui, destacamos que na plataforma da Logcomex, você também consegue consultar valores médios de fretes por mercadoria e por rota, podendo negociar com o agente de cargas ou até mesmo com o armador a mais estratégica para a sua operação.

Dados da importação de roupas da China

Agora que você aprendeu mais a respeito da importação de roupas da China, chegou a hora de ver os números envolvidos.

Separamos dados entre janeiro e julho de 2023 para mostrar o quanto o mercado chinês está aquecido.
Para isso, fizemos uma pesquisa baseada nas posições de NCMs da 6101 até 6117 e da 6201 até 6214 (exceto 6213).

Principais NCMs da importação de roupas da China

Nossa pesquisa apontou que as principais NCMs da importação de roupas da China (em  ordem decrescente) são as seguintes:

  • 62024000 — Mantôs (casacos compridos), capas, anoraques, casacos (blusões) e semelhantes, de fibras sintéticas ou artificiais, exceto os artigos da posição 62.04
  • 62014000 — Sobretudos, japonas, gabões, capas, anoraques, casacos (blusões) e semelhantes, de fibras sintéticas ou artificiais, de uso masculino, exceto os artigos da posição 62.03
  • 61023000 — Mantôs, capas, anoraques, casacos e semelhantes, de malha, de uso feminino, exceto os artefatos da posição 61.04, de fibras sintéticas ou artificiais
  • 61159600 — Outras meias-calças e semelhantes, de malha. de fibras sintéticas
  • 61013000 — Sobretudos, japonas, gabões, capas, anoraques, casacos e semelhantes, de malha, de uso masculino, exceto os artefatos da posição 61.03, de fibras sintéticas ou artificiais
  • 61161000 — Luvas, mitenes e semelhantes, de malha, impregnadas, revestidas ou recobertas, de plásticos ou de borracha
  • 61062000 — Camisas, blusas, blusas chemisiers, de malha, de uso feminino, de fibras sintéticas ou artificiais
  • 62034300 — Calças, jardineiras, bermudas e shorts (calções),de fibras sintéticas
  • 62046300 — Calças, jardineiras, bermudas e shorts (calções), de uso feminino, de fibras sintéticas.

Considerando que a região brasileira que mais importa roupas da China localiza-se no Sul do Brasil, faz sentido que as peças sejam mais voltadas para a estação invernal. 

Sendo que a importação deste tipo de roupa na primeira metade do ano provavelmente serve ao objetivo de suprir a demanda de peças quentes para o inverno — que, aliás, é bastante rigoroso na região.

Números gerais da importação de roupas da China

O valor FOB (Free On Board) no período, analisando todos os países, foi de +US$ 620 milhões, com mais de 60 milhões de kg

O que representa um aumento que ultrapassa os 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

Dados gerais da importação de roupas da China. Fonte: Logcomex
Dados gerais da importação de roupas da China. Fonte: Logcomex

UFs importadoras

O estado que mais importa roupas da China é Santa Catarina, seguido por São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais.

Outros estados importadores são Alagoas, Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Principais UFs da importação brasileira de roupas da China
Principais UFs da importação brasileira de roupas da China. Fonte: Logcomex

Unidades de desembaraço

As principais unidades de desembaraço no período foram o porto de Santos, o aeroporto internacional de São Paulo/Guarulhos, o Porto de São Francisco do Sul e Itajaí.

Além destas, outras unidades de desembaraço da importação de roupas da China são o aeroporto internacional do Rio de Janeiro, o Porto do Rio de Janeiro e o aeroporto internacional de Viracopos.

Principais URFs da importação brasileira de roupas da China. Fonte: Logcomex
Principais URFs da importação brasileira de roupas da China. Fonte: Logcomex

Modais de transporte da importação brasileira de roupas da China

Apesar de o principal modal de transporte da importação de roupas da China ser a marítima com 63%, a aérea está logo atrás, com 35% das importações.

Principais modais da importação brasileira de roupas. Fonte: Logcomex
Principais modais da importação brasileira de roupas. Fonte: Logcomex

Analise informações completas do mercado, identifique tendências e planeje suas estratégias com base em dados sólidos para impulsionar seus resultados no comércio global.

Preencha o formulário a agende já sua demonstração gratuita!