Entenda o cenário da importação de medicamentos em 2021

Importação de medicamentos no Brasil em 2021

Entenda o cenário da importação de medicamentos em 2021

Quando se trata de mercado farmacêutico, países como China e Índia encabeçam a relação de principais exportadores a nível mundial. Embora não seja tão divulgado, o Brasil é um dos grandes fregueses desses dois países e muitos outros. Nesse texto, você vai poder entender mais sobre o cenário da Importação de medicamentos no Brasil! Vamos lá?

Como está a importação de medicamentos no Brasil?

A aquisição de mercadorias estrangeiras bateu vários recordes já no início de 2021 devido ao agravamento da pandemia causada pelo novo Coronavírus.

O aumento foi de 53% em relação ao ano anterior, ultrapassando 3 bilhões de dólares com mais de 26 mil registros de importações.

Importação de medicamentos no Brasil

Números da Importação de medicamentos no Brasil em 2021. Fonte: Search, Logcomex.

Diversas medidas foram aplicadas a fim de incentivar as aquisições no país, como a redução do Imposto de Importação para boa parte dos medicamentos e a flexibilização da análise pelos órgãos que anuem os processos.

Vale ressaltar que boa parte dos medicamentos, para serem importados, precisam ter a liberação (autorização) de algum órgão anuente e, hoje, a maior autoridade no assunto no país é a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A Anvisa é responsável por analisar não só a integridade física e composição dos itens como também a idoneidade de fabricantes internacionais através de auditorias realizadas (muitas vezes in loco).

Importação de medicamentos para o Brasil: conheça as estatísticas

A importação das vacinas para o combate ao vírus da Covid-19 trouxe o tema à tona. 

O cenário caótico fez com que muitos consumidores finais tivessem ao menos uma pequena noção desse processo que, além de complexo, é bem burocrático.

O que poucos sabem é que grande parte dos itens frequentemente consumidos pela população são importados.

A divulgação de informações e notícias sobre as importações aumentou consideravelmente e trouxe um outro olhar.

Inclusive por parte do próprio governo, para esse mercado que vem tentando (agora com mais força) trabalhar para flexibilizar e viabilizar essas operações.

Afinal, o Brasil é conhecido hoje como um dos mais burocráticos e caros para se promover o comércio internacional, em especial na modalidade de Importação.

Desde os anos 2000, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que atua tentando promover a melhora das condições de saúde nos países das Américas, tem enviado medidas aos governos para encontrar meios de facilitação das importações.

Um dos exemplos mais divulgados é a criação do Fundo Estratégico, que auxilia na aquisição de medicamentos e insumos para combater doenças específicas como tuberculose e malária. O Brasil e outros 14 países participam desse fundo reforçando a sua importância.

Principais medicamentos importados no Brasil

Produtos cuja classificação inicia com “3004” na indústria são materiais compostos ou produtos considerados acabados, estes encabeçam a lista de medicamentos importados no último ano.

Na imagem abaixo, extraída do módulo Search da LogComex, é possível observar como primeiros itens o 3004.90.69 e o 3004.90.79. 

São medicamentos constituídos por produtos misturados, preparados para fins terapêuticos ou profiláticos, em doses ou acondicionados já para a venda. Respeitando suas respectivas classificações e composições.

Importação de medicamentos em 2021: principais NCMs.

Importação de medicamentos em 2021: principais NCMs. Fonte: Search, Logcomex.

Principais rotas para Importação dos Remédios

Existem diversos países que têm como foco a produção de medicamentos e insumos farmacêuticos para a exportação. Os principais são:

  • China;
  • Índia;
  • Tailândia;
  • Estados Unidos;
  • Suíça.

Abaixo pode-se observar a relação de rotas de Países de Origem com maior volume de exportações ao Brasil e seu valor médio FOB.

Nessa relação, a Índia é a principal exportadora de itens da categoria 3004 de medicamentos acabados para o Brasil, com FOB médio em torno de USD49 BI, seguida dos Estados Unidos com mais de USD846 MI.

Principais rotas para a importação de medicamentos no Brasil

Principais rotas para a importação de medicamentos no Brasil em 2021. Fonte: Search, Logcomex.

Um ponto importante a ressaltar é que, no mercado farmacêutico, é comum que o fabricante de uma parte do medicamento esteja alocado em um país e exporte esse material para um segundo local, que finaliza o medicamento e faz as análises do item já acabado, para só então este produto ser exportado ao país de destino.

Na imagem acima, por exemplo, os Estados Unidos aparecem com 2,04% das exportações enquanto país de origem, tendo o Reino Unido como país de aquisição.

Na prática, isso significa que parte do material é produzido nos Estados Unidos e enviado ao Reino Unido, que finaliza e repassa o item ao Brasil.

Entretanto, no que diz respeito à entrada desses itens no país, o Aeroporto de Guarulhos aparece como sendo o principal local de entrada, seguido do Porto de Santos.

Unidades de desembaraço para a Importação de medicamentos em 2021.

Ranking das unidades de desembaraço para a importação de medicamentos em 2021. Fonte: Search, Logcomex.

Como é o processo de Importação dos medicamentos no Brasil?

A etapa inicial da Importação de Medicamentos é a definição do código da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM). Pois é ela que dará o norte referente aos regimes de Impostos e órgãos anuentes (se aplicável).

O fornecedor pode ser consultado para referência, mas é importante ter um validador local especialista no assunto, para não haver o risco de classificar o produto incorretamente, uma vez que esse erro no Brasil gera multas.

Sabendo o NCM é importante verificar se o material precisará ser analisado por algum órgão antes de ser nacionalizado ou antes ainda de entrar no país. Alguns itens precisam de autorização prévia por conta de sua composição e/ou quantidade.

Se não for o caso, o embarque pode ser autorizado, mas antes da nacionalização é preciso submeter ao órgão responsável para solicitar autorização — levando em consideração que cada órgão tem suas particularidades e requerimentos específicos. Por isso, contar com o suporte de uma equipe treinada e preparada é fundamental.

Nova call to action

Durante o transporte

É importante analisar se o material importado precisa de algum tipo de cuidado especial como o controle e o monitoramento de temperatura ou algum tipo de segregação por conta da natureza da carga (itens perigosos, por exemplo).

Ainda nessa etapa, deve haver todo um cuidado com embalagem e a armazenagem do produto, que deve ser preservada para evitar qualquer tipo de contaminação à sua eficácia e composição. As importações na modalidade aérea, apesar do custo elevado, figuram como o principal modal utilizado, pois quando se trata de medicamento, o tempo é um fator crítico e pode influenciar diretamente na qualidade do produto.

Importação de medicamentos em 2021: principais modais.

Modais de transporte para a importação de medicamentos em 2021. Fonte: Search, Logcomex.

O transporte nacional também deve ser coordenado com cuidado, pois qualquer desvio de rota ou exposição da carga a temperaturas não adequadas pode ocasionar a perda do produto, em especial os biológicos que podem ser totalmente perdidos e devem ser imediatamente descartados.

Inteligência de mercado na Importação de medicamentos

A Anvisa desenvolveu ao longo dos anos um importante papel que hoje, inclusive, é referência mundial no controle de medicamentos, não só nos meios de entrada (portos e aeroportos) mas também na fiscalização de todos os tipos de importação.

Precisa ter acesso a dados de mercado sobre a importação de medicamentos? Contar com uma plataforma de inteligência pode ser o seu diferencial no mercado. Saiba mais:

New call-to-action

 

Nova call to action