Voo Fretado na Importação: o que preciso saber antes de contratar?

Voo Fretado na Importação: o que preciso saber antes de contratar?

Recentemente, têm surgido no mercado Agentes de Carga vendendo espaço em voo fretado na importação, também conhecido pelo termo “Charter Flight” ou “voo charter”.

Uma oportuna estratégia para o momento de pandemia, afinal, com a redução no número de aviões voando em linhas regulares, menores são as opções para transporte aéreo de carga.

Big Data - LogComex

E as expectativas para o ano não são promissoras no Comércio Exterior, a Maersk estima 140 Blank Sailings para o segundo Quadrimestre e a IATA prevê uma queda entre 15-20% do tráfego aéreo para 2020

Entretanto, assim como qualquer modo de embarque, Voos Fretados possuem vantagens e desvantagens, e lhe apresentarei, então, um pouco do que é preciso saber antes de contratar.

O que é Voo Fretado?

Como resultado da indisponibilidade de espaço em aviões de linhas regulares para atender a uma gigante demanda, os Agentes de Carga arrendam uma aeronave para realizar um transporte com rota e horário específicos.

O Agente de Carga pagará pelo arrendamento da aeronave à companhia aérea e, em seguida, precisará “give its jumps” para vender o espaço disponível aos seus clientes.

Em resumo, o Agente de Carga compra o espaço no atacado para vender aos seus clientes no varejo.

Evidente que este processo não é simples como chamar um Uber, é necessário definir a quem pertencem os riscos e as responsabilidades de operação… mas esta é a expertise dos Agentes de Carga e cabe a eles simplificar a venda aos clientes.

Também é possível arrendar parte de uma aeronave ou navio, entretanto, isso tende a ser viável apenas com veículos maiores.

As vantagens e desvantagens do Voo Fretado na importação.

Ainda que busque atender uma reconhecida demanda que justifique tamanha operação, o Voo Fretado na importação não satisfará logisticamente a todos.

Assim como as vantagens e desvantagens abaixo podem pesar diferente em sua decisão, variando conforme:

  • Tipo de produto: peso, dimensões, classificação de risco e barreiras não tarifárias.
  • Mercado a atender no Brasil.
  • Sua localização e a do Exportador em referência aos aeroportos da rota.

Mas é primordial conhecê-las a fim de evitar prejuízos ainda maiores (especialmente num momento em que precisamos reduzir custos) e trabalhar com harmonia com seu Agente de Carga, desde a cotação até chegada da mercadoria.

Vantagens.

O bicho é brabo de rápido, mesmo para o transporte aéreo, o Transit Time entre Shanghai/Frankfurt -> Viracopos chega a ser 30 horas.

Isso é possível pois não há escalas no caminho para carregar e descarregar (apenas para reabastecer) e muito menos conexões, portanto, o tempo parado com troca de aeronave e movimentação de carga durante a viagem é inexistente.

Maior garantia do embarque, o espaço comprado está seguro e será iniciado na data informada, diferente das linhas regulares que têm regras de prioridade que podem deixar você a ver navios aviões.

Para a carga, a importação em voo fretado fortalece a segurança em dois aspectos:

  • Manuseio: ele será realizado por um subcontratado de seu agente de carga, que a acompanhará para que seja feito com cuidado.
  • Transporte: quanto menos tempo um veículo está em viagem ou movimentando carga, menor é o tempo exposto a risco.

Além do próprio transporte aéreo ser mais seguro que o marítimo e rodoviário.

Desvantagens.

No geral, costuma ser a opção mais cara dentro do transporte aéreo… aumentar o volume de produto pode ajudar a reduzir o custo do frete, apesar do câmbio não está colaborando muito para isso.

Como falta espaço para embarcar, esse “caro” ainda assim pode ser mais barato que arcar com outros custos conhecidos, como: 

  • Queda da efetividade da mão-de-obra por ociosidade. 
  • Deixar de atender clientes no Brasil. 
  • Fábrica e maquinário parados.

Mas não se engane, o Voo Fretado não perdoa atrasos: se você não entregar a carga a tempo (desembaraçada e pronta para embarque), arcará com o frete morto e, adicionalmente, sofrerá com os prejuízos logísticos de movimentar, transportar e armazenar essa carga novamente  até conseguir outro Voo Fretado.

Visto que não há seguidamente opções de Voo Fretado na importação, a espera será longa.

Portanto, é essencial que seu exportador tenha tempo para produzir e entregar a mercadoria, além de um prazo extra de segurança para os eventuais problemas!

Especialmente se sua carga for volumosa, aviões não são espaçosos como navios e os melhores espaços podem acabar rapidamente.

Por último, provável que precise pagar adiantado o frete, ou pelo menos parte dele, pois, como vimos, trata-se de uma operação bem mais arriscada para os Agentes de Carga e esta é uma forma de compartilhar os riscos – ou seja: 

É uma viagem rápida pela “pechincha” de comprometer mais intensamente seu fluxo de caixa. 

Mas, este é um aspecto mais comercial, de modo que, a depender da sua barganha e relação comercial com o Agente de Carga, talvez consiga pagar depois da aeronave chegar – como o usual da importação.

Planejamento mais importante que nunca.

Por mais que a pandemia terminasse milagrosamente hoje, seriam meses para fábricas, comércios, companhias aéreas e armadores sincronizarem suas capacidades para atenderem as demandas.

O êxito de uma importação está no planejamento e, na hipótese de embarcar em Voo Fretado, a logística internacional torna a linha entre o sucesso e fracasso da operação mais tênue ainda.

Portanto, lembre-se! Da mesma forma que há no momento “Empreendedores” que nunca importaram nem no Ali Express querendo trazer um contêiner de máscaras, tenha o bom senso de não optar por trabalhar com Agentes de Cargas inexperientes nesse assunto.

Se o modo aéreo de embarque sempre esteve presente na sua rotina, considere cotar nessa modalidade, pois ainda ouviremos ofertas dela por um bom tempo.

 

E você, amiga(o)?

Já realizou importação em Voo Fretado? Tem conseguido embarcar em linhas regulares? Seu Agente de Carga está ofertando esta opção? Quais cuidados você recomendaria para quem ainda desconhece?

O momento exige cooperação, portanto, dividir sua experiência nos comentários é mais importante que nunca.

Artigo escrito por Jonas Vieira
Consultor, Escritor e Produtor de Conteúdo de Comércio Exterior
LinkedInInstagramPodcastjonas-vieira.com