Importação de eletrônicos: quais os números?

O cenário da importação de eletrônicos no Brasil sem dúvida é repleta de desafios, oportunidades e regulamentações. Sendo, portanto, um aspecto crucial para a indústria brasileira, que impulsiona a oferta de uma ampla gama de produtos tecnológicos no mercado nacional. Por isso, neste artigo, abordaremos cada um dos principais pontos relacionados ao segmento. Confira!

Panorama da indústria eletrônica brasileira

Esta indústria tem um papel inegavelmente significativo no Brasil, influenciando a economia do país. Afinal, abrange uma ampla gama de setores que vão desde a produção de peças até a fabricação de aparelhos eletrônicos completos. Como, por exemplo, dispositivos móveis, eletrodomésticos, equipamentos de comunicação, etc. 

A indústria eletrônica brasileira certamente enfrenta grandes desafios, incluindo concorrência internacional, rápida obsolescência tecnológica e a complexidade do ambiente regulatório e tributário. No entanto, o setor também apresenta oportunidades de crescimento, especialmente com a crescente demanda por tecnologia e eletrônicos no mercado interno.

Produção de componentes eletrônicos

O Brasil possui uma capacidade significativa na produção de componentes eletrônicos, incluindo semicondutores, circuitos integrados e displays, por exemplo. No entanto, uma parte considerável desses componentes ainda é importada, principalmente devido à falta de investimentos em pesquisa e desenvolvimento nessa área.

Fabricação de produtos eletrônicos

O país abriga várias empresas que fabricam uma vários produtos eletrônicos, como por exemplo, smartphones, tablets, TVs, eletrodomésticos, equipamentos de comunicação, etc. Elas enfrentam desafios relacionados principalmente à competitividade com produtos importados. Bem como a necessidade de atualização tecnológica constante para atender demandas do mercado.

Inovação e tecnologia 

Apesar dos desafios, a indústria eletrônica brasileira tem mostrado avanços significativos em termos de inovação e tecnologia. Muitas empresas estão investindo em pesquisa e desenvolvimento para criar produtos de alta qualidade e com maior valor agregado, buscando se destacar no mercado nacional e internacional.

Mercado interno e exportação 

O mercado interno continua sendo um importante motor de crescimento para esta indústria, com uma crescente demanda por dispositivos móveis, eletrodomésticos inteligentes, equipamentos de comunicação e outras tecnologias. Além disso, o Brasil também exporta peças eletrônicas, dispositivos médicos e soluções de tecnologia da informação.

Regulação para importação de eletrônicos

A indústria eletrônica é fortemente impactada pela regulamentação e política industrial do país. Incluindo questões relacionadas à proteção da propriedade intelectual, incentivos fiscais, barreiras comerciais, entre outros. Assim, uma política industrial clara e consistente é fundamental para promover o crescimento e a competitividade do setor.

A importação de eletrônicos envolve uma série de regulamentações que precisam ser observadas para garantir a conformidade legal e evitar problemas durante o processo. Confira abaixo os principais pontos da regulamentação para importar este tipo de produto em conformidade com a lei, evitando futuras dores de cabeça:

  1. Todos os eletrônicos importados devem seguir as normas da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), garantindo sua segurança e performance no mercado nacional
  2. Antes de iniciar esta importação, conheça a documentação e processos exigidos. Incluindo a habilitação no RADAR Siscomex, o registro na Receita Federal, entre outros
  3. É fundamental escolher fornecedores confiáveis e verificar se os produtos estão de acordo com as especificações técnicas e regulamentações brasileiras
  4. Por fim, a logística desta importação requer cuidados sobretudo para produtos com baterias de lítio. É vital seguir suas regulamentações de transporte e armazenamento.

Números da importação de eletrônicos em 2023

Para analisar os números da importação de eletrônicos, selecionamos algumas NCMs relacionadas a produtos gerais, desconsiderando nichos que podem se relacionar (como é o caso da indústria automotiva e da fotovoltaica, por exemplo). Adicionando os filtros para exclusão destes mercados, focando apenas no setor eletrônico, obtivemos as seguintes NCMs:

Gráfico em barras horizontais apresentando as principais NCMs importadas pela indústria eletrônica.
Principais NCMs importadas pela indústria eletrônica. Fonte: Logcomex

Fabricação de componentes eletrônicos e placas

Este segmento da indústria envolve a produção de componentes eletrônicos essenciais, como processadores, controladores, circuitos integrados monolíticos, circuitos do tipo chipset e outros circuitos montados. No ano de 2023, ele representou +US$ 5 milhões das importações de eletrônicos, com uma variação de -18% em relação ao ano anterior.

  • 85423120 — Processadores e controladores
  • 85423939 — Outros circuitos integrados monolíticos
  • 85423931 — Circuitos do tipo chipset
  • 85423390 — Outros circuitos montados
  • 85423110 — Processadores e controladores

Fabricação de equipamentos de comunicação

Neste setor, são fabricados equipamentos para comunicação, incluindo partes de aparelhos telefônicos, receptores de radiodifusão e televisão, equipamentos terminais ou repetidores e outros aparelhos emissores com receptor incorporado, digitais, etc. Em 2023, ele representou +US$ 4 milhões do total de eletrônicos importados (uma redução de quase 9% em relação a 2022). 

  • 85177900 — Outras partes de aparelhos telefônicos
  • 85299020 — Outras partes para aparelhos receptores de radiodifusão, televisão, etc.
  • 85176259 — Outros equipamentos terminais ou repetidores
  • 85176277 — Outros aparelhos emissores com receptor incorporado, digitais

Fabricação de equipamentos de medição

Abrange a fabricação de instrumentos e dispositivos para medição, teste, navegação e controle, cronômetros e relógios. Inclui instrumentos de medida e controle da pressão, indicadores de velocidade, tacômetros e afins. Em 2023, totalizou +US$ 4 milhões do total de eletrônicos importados e foi a única a apresentar variação positiva de 12% comparada ao ano anterior.  

  • 90318099 — Outros instrumentos, aparelhos e máquinas de medida/controle
  • 90292010 — Indicadores de velocidade e tacômetros
  • 90261090 — Outros instrumentos e aparelhos para medida/controle da pressão
  • 90279099 — Partes e acessórios para outros instrumentos e aparelhos para análise
  • 90278999 — Outros instrumentos e aparelhos para análise/ensaio/medida

Fabricação de computadores e equipamentos periféricos

Engloba a produção de computadores e periféricos: máquinas automáticas de processamento de dados, unidades de memória de estado sólido (SSD), placas-mãe e outras unidades de máquinas automáticas afins. Bem como máquinas digitais de processamento portáteis. Mais de US$ 2 milhões do total importado em eletrônicos foram para este setor, que importou 17% menos do que em 2022.

  • 84714900 — Outras máquinas automáticas de processamento de dados
  • 84717040 — Unidades de memória de estado sólido (SSD – Solid-State Drive)
  • 84733041 — Placas-mãe (motherboards), montadas, para máquinas de processamento de dados
  • 84718000 — Outras unidades de máquinas automáticas para processamento de dados
  • 84713012 — Máquinas digitais de processamento de dados, bateria/eletrônica, portáteis

Fabricação de produtos eletrônicos de consumo

As atividades relacionadas à fabricação de equipamentos de medição, teste, navegação e controle fornecem instrumentos e dispositivos para medir, monitorar e controlar processos industriais e sistemas. As empresas do setor foram responsáveis por praticamente US$ 1,7 milhão do total de eletrônicos importados em 2023, uma queda de 22,85% comparado com 2022.

  • 85249100 — Outros suportes gravados, para reprodução de fenômeno diferente de som ou imagem
  • 85171300 — Telefones inteligentes (smartphones)
  • 85285200 — Outros monitores capazes de serem conectados diretamente a uma máquina automática para processamento de dados
  • 95045000 — Consoles e máquinas de jogos de vídeo
  • 85183000 — Fones de ouvido, mesmo combinados com um microfone.

Números gerais da importação de eletrônicos

Como resultado da pesquisa na plataforma NCM Intel da Logcomex, descobrimos que o total FOB pago pelo mercado na aquisição geral dos produtos importados pela indústria eletrônica ultrapassou os US$ 2 bilhões. O equivalente a um peso total transportado de 63.603,79 toneladas no período pesquisado (janeiro a dezembro de 2023).

Captura de tela da plataforma Logcomex apresentando valor FOB e peso total da importação de eletrônicos em 2023
Dados gerais da importação de eletrônicos.

Principais países de origem

A China é, disparado, o maior parceiro comercial do Brasil na importação de eletrônicos devido principalmente à sua produção em larga escala e custos competitivos. Além disso, o gigante asiático é conhecido não somente por oferecer uma ampla variedade de produtos eletrônicos como também pela sua capacidade de atender à demanda global.

Captura de tela da plataforma Logcomex apresentando uma tabela com os principais países de origem da importação de eletrônicos
Países de origem da importação de eletrônicos. Fonte: Logcomex

Principais unidades de desembaraço

A principal unidade de desembaraço que movimentou as cargas de eletrônicos foi o aeroporto de Viracopos — localizado em uma região industrializada, que facilita o transporte de mercadorias para outras regiões do país. Em segunda posição no ranking está o aeroporto Eduardo Gomes, seguido pelo porto de Santos

Na sequência, surge o porto de Manaus (provavelmente por estar localizado na mesma região que abriga um dos principais polos industriais do país). Outras unidades de desembaraço em destaque são Itajaí, o aeroporto internacional do Rio de Janeiro e o porto do Rio de Janeiro, além do porto de São Francisco do Sul.

Gráfico em barras horizontais apresentando as principais URFs da importação de eletrônicos
Principais URFs da importação de eletrônicos. Fonte: Logcomex

Estados brasileiros que mais importaram

Os principais estados importadores no período foram São Paulo e Amazonas. O primeiro é amplamente reconhecido como um grande polo industrial, enquanto o segundo literalmente abriga o Polo Industrial e a Zona Franca de Manaus — região privilegiada com vários incentivos fiscais que tornam a importação destes produtos mais rentável e lucrativa.

Tabela em linhas horizontais apresentando as principais URFs  da importação de eletrônicos
UFs que mais importam eletrônicos. Fonte: Logcomex

Modais de transporte mais utilizados 

O modal aéreo é preferido para o transporte dos eletrônicas, provavelmente por sua velocidade (que agiliza a reposição de estoques, vital para atender à demanda do mercado e manter a competitividade), menor tempo de trânsito (reduzindo tempo de inatividade na linha de produção), segurança e flexibilidade. Sendo vantajoso sobretudo para peças de alto valor e urgência na entrega.

Gráficos em rosca representando os principais modais da importação de eletrônicos
Principais modais da importação de eletrônicos. Fonte: Logcomex

Tenha informações completas da importação de eletrônicos

O NCM Intel da Logcomex é uma ferramenta essencial para auxiliar na importação de eletrônicos, oferecendo insights estratégicos e valiosos, a partir do fornecimento de informações atualizadas e detalhadas sobre as NCMs específicas para esse segmento. Com ele, sua empresa consegue, entre outros, os seguintes benefícios:

Uma operação mais segura

Elimine a dependência de um único fornecedor ou produto: encontre países alternativos de onde importar e opções de insumos similares em casos de escassez no mercado. Assim, você evita a quebra de estoque e interrupção da linha de produção e mantém sua competitividade mesmo nos cenários mais desafiadores do mercado.

Mais lucratividade para suas importações

Depender apenas do que o fornecedor afirma e aceitar os valores sem poder questionar nem negociar preços mais atrativos? Nunca mais! Com o NCM Intel, você tem acesso a informações completas dos produtos: incluindo volumes de importação, valores FOB, países de origem, unidades de desembaraço e modais de transporte mais utilizados. 

A partir da avaliação dessas informações, você tem um sólido embasamento para negociar valores mais lucrativos para sua operação. Além de poder realizar uma análise completa do mercado, obtendo percepções que contribuem para uma tomada de decisões estratégica e bem informada, baseadas em informações atualizadas.

Alinhamento às tendências e mudanças do mercado

O NCM Intel permite monitorar as tendências do mercado e as mudanças nas regulamentações relacionadas à importação eletrônica. Isso é fundamental para se manter por dentro das novas oportunidades, bem como riscos potenciais e alterações nas políticas comerciais. Fatores estes que podem impactar suas operações.

Custos controlados

Com acesso privilegiado aos valores FOB pagos pelo mercado, além das informações sobre taxas de impostos e tarifas aplicáveis, você pode planejar seus custos e despesas com maior precisão. Além de otimizar seus processos de importação e garantir eficiência e conformidade legal à operação da sua empresa. 

Tomada de decisões estratégicas 

Com base nos insights fornecidos pelo NCM Intel, você pode tomar decisões estratégicas mais informadas para sua empresa. Incluindo, por exemplo, a seleção de fornecedores mais confiáveis, a escolha assertiva de modais de transporte, definição de estratégias de precificação, além da identificação de oportunidades de mercado.

Quer ver na prática como o NCM Intel vai revolucionar sua importação e impulsionar a performance da sua empresa na indústria de eletrônicos — como já tem feito com diversas empresas do segmento? Clique aqui e preencha o formulário na página para agendar sua demonstração totalmente gratuita agora mesmo.

Falar com um especialista! Preencha os campos abaixo!