Indústria e Comex 4.0: o que é e como realizar?

Comex 4.0 e Indústria

Indústria e Comex 4.0: o que é e como realizar?

Você sabe o que é Comex 4.0 e Indústria 4.0? Para entender mais sobre esse conceito, é preciso revisitar a história. 

As primeiras teorias de comércio internacional das quais se tem conhecimento foram articuladas a partir do século XV na Europa com o mercantilismo, as grandes navegações e as aberturas de rotas comerciais. 

O comércio internacional e logística são áreas antigas, mas que estão sempre evoluindo de acordo com as novas economias e Revoluções Industriais. 

No Brasil esse setor ainda pode se desenvolver bastante, tanto em infraestrutura e diversificação de mercado, quanto na necessidade de agregar valor aos produtos oferecidos para o mercado externo.

Neste artigo você vai saber mais sobre a evolução das indústrias e suas influências para o comércio exterior na Quarta Revolução Industrial. 

Revolução Industrial e Comex 4.0

Tecnologia e Revolução Industrial

A transformação da indústria está diretamente relacionada ao uso e criação de novas tecnologias que mudam a forma como a sociedade se comporta. 

A palavra tecnologia tem origem no grego “tekhne” que significa “técnica” juntamente com o sufixo “logia” que significa “estudo”, ou seja, é o “estudo de técnicas” que resolvem problemas (que nem sempre nos são conhecidos). Henry Ford, o primeiro empresário a aplicar a montagem em massa, disse: 

“Se eu perguntasse a meus compradores o que eles queriam, teriam dito que era um cavalo mais rápido.”

Em todas as revoluções industriais percebemos alguns padrões:

  • Quando a forma de produção muda, a logística também sofre mudanças e seus processos são refinados;
  • Alguns postos de trabalho deixam de existir e outros surgem;
  • Todas as revoluções foram impulsionadas por tecnologias;
  • As revoluções trouxeram novos hábitos de consumo.

Quarta Revolução Industrial

O termo Quarta Revolução Industrial foi utilizado pela primeira vez em 2011 pelo presidente do Fórum Econômico Mundial. Trata-se de um modelo de negócio que visa a conectividade entre as tecnologias a fim de obter maior produtividade. Para isso é necessário automatização, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e Big Data. 

Já é possível notar esse grande avanço industrial em alguns países na Europa, Ásia e América do Norte. 

Comex 4.0

Entendendo que processos logísticos e padrões de consumo mudam após uma revolução industrial, é impossível não associar estas mudanças com o comércio exterior. Chamamos de Comex 4.0 as evoluções tecnológicas da área que trazem maior conectividade às operações entre países.

A tecnologia no comércio exterior

Os anos 1993 para exportação e 1997 para importação marcaram o Brasil como pioneiro na tecnologia, quando o país lançou o Sistema Integrado de comércio exterior (SISCOMEX) com o objetivo de integrar as etapas operacionais que eram muito mais burocráticas do que hoje. 

Até 2012 o SISCOMEX era offline e deveria ser instalado localmente. Hoje é possível acessar o sistema por uma versão online e os players aguardam ainda mais mudanças de desburocratização da área.

Leia mais em Expectativas: Portal Único de comércio exterior em 2021

Além deste sistema público, nota-se um investimento cada vez maior de empresas privadas em sistemas exclusivos para organizar, controlar e trazer mais segurança em seus processos no comércio exterior, o que faz crescer a necessidade de profissionais que entendam de operações e tecnologia e tenham novas habilidades. 

Existem diversos benefícios em utilizar as tecnologias disponíveis no comércio exterior, dentre os quais podemos citar:

  • No setor operacional: redução de custos, otimização do tempo, redução de falhas e erros nos processos, sustentabilidade, melhor organização dos processos, menos retrabalho, redução do desperdício, possibilidade de personalização e mitigação de riscos.
  • No setor comercial: melhor prospecção, conhecer as dores dos seus possíveis clientes, melhor assertividade nas tomadas de decisão ao contratar, benchmarking, transparência nas negociações e conexão entre os diversos setores da empresa.

Quais são as novidades já disponíveis no comércio exterior e o que está por vir?

Nova call to action

Big Data 

Todas as empresas devem possuir inteligência para coletar, administrar, organizar e interpretar dados a fim de transformá-los em inteligência e melhorar sua tomada de decisão. 

Leia mais: Importador, transforme dados em lucro com Big Data

Automação

A automação possui o princípio de reduzir ou eliminar tarefas manuais. Pode ocorrer dentro de uma empresa (1) ao disparar um e-mail automático, por exemplo, ou (2) pelo uso de máquinas que não necessitam da interferência humana para funcionar.

  1. Com a velocidade de dados e a grande quantidade de intervenientes em uma operação logística, a administração de informações de forma manual se torna inviável. A automatização é uma grande aliada do profissional de Comex que com ela pode otimizar seu tempo com atividades mais relevantes e rentáveis. 
  2. Hoje em dia, portos, aeroportos e terminais de países desenvolvidos em tecnologia já são autônomos e eliminaram a necessidade de interação humana nos complexos. 

Leia mais em Por que investir em automação no comércio exterior?

Business Intelligence

A gestão empresarial baseia sua tomada de decisão em dados e o uso de dashboards se torna indispensável para facilitar a rotina do gestor, uma vez que sistemas podem melhorar a qualidade das decisões e entregar informações específicas. 

Porém nem sempre foi assim. Grandes corporações organizavam seus dados separadamente e divididos por setor, apenas em 1980 os sistemas passaram a ser integrados facilitando a análise dos profissionais, no modelo que atualmente conhecemos como ERP (Enterprise Resource Planning ou planejamento de recursos empresariais). 

Atualmente, os dados fazem com que o gestor possua uma análise macro dos ambientes em que a empresa atua, o que lhe permite fazer um estudo da concorrência, de marketing e vendas, prospecção, posicionamento de mercado e busca por novas oportunidades, entre muitas outras análises.

Inteligência Artificial (AI)

A Inteligência Artificial é a decisão de um sistema de forma autônoma baseada em padrões de dados armazenados. No comércio exterior pode ser útil de diferentes formas: na identificação de possíveis erros em uma documentação, na tomada de decisão, na melhor escolha por uma rota, na armazenagem de uma carga, na necessidade de redestinação para outro terminal, na precificação de frete internacional etc. 

Assista nosso webinar sobre Inteligência Artificial assertiva para negociações internacionais: IA no comércio exterior

Blockchain

Muito além de criptomoedas, o blockchain é um sistema descentralizado capaz de identificar informações. Pode ser utilizado tanto para pagamentos, quanto para realizar o controle de um embarque, atestar a veracidade de um produto ou comercializar bens.  

Internet das Coisas (IOT)

A Internet das Coisas é uma rede de sistemas que podem interagir entre si e com o mundo real para fornecer dados úteis para o controle e gestão. Em 2019 o porto de Roterdã embarcou um equipamento com essa tecnologia, chamado de “Container 42”, equipado com diferentes tipos de sensores capazes de identificar e coletar dados das condições do ambiente dentro e fora dele.

Modelos econômicos colaborativos

O mercado de comércio exterior é repleto de grande competitividade entre os players, porém uma das grandes mudanças que a Quarta Revolução Industrial promete trazer são economias mais colaborativas, com parcerias ao invés de concorrências agressivas, objetivando o sucesso do cliente.

Leia mais em Novas economias e tendências pós COVID-19

Nova call to action

Ambiente digital

O grande marco de globalização e conectividade entre as pessoas aconteceu na Terceira Revolução Industrial. Mesmo assim, muitas empresas da área demoraram para se adequar ao ambiente digital. Quanto antes as empresas estiverem bem posicionadas na Internet melhor será sua comunicação e relacionamento com seus stakeholders

Como minha empresa pode participar da Indústria 4.0?

Ao contrário das outras revoluções industriais, nesta que estamos vivendo temos acesso a muita informação, ou seja, temos a chance de nos preparar e nos adaptar, nos aproximar de parceiros que estão à frente das novas tecnologias, adquirir novas habilidades e se adequar às novas economias. 

A tecnologia está mais perto do que você imagina! A Logcomex preparou um case que ilustra muito bem a utilização de Big Data no comércio exterior. Veja abaixo um exemplo de como uma empresa que atua no comércio exterior utiliza dados para aprimorar sua estratégia:

New call-to-action

 

Nova call to action