frete-internacional-maritimo

Como funciona o frete internacional marítimo? Como calcular?

Um dos principais fatores de sucesso ou não de uma operação de importação ou exportação, conhecer o frete internacional é essencial para qualquer profissional de comércio exterior. Quando se fala, principalmente, do frete marítimo, principal modal utilizado no Brasil, a situação se torna ainda mais importante.  

Dessa maneira, para qualquer setor de comércio exterior, é fundamental dominar o assunto. Por isso, nesse artigo, você encontrará:

Boa leitura!

Panorama do frete internacional marítimo no Brasil

No início, o frete marítimo era tratado no Brasil por agências marítimas, que basicamente eram filiais de grandes indústrias navais internacionais.

O transporte era todo realizado por meio de break bulk, ou seja, por meio de cargas fracionadas. A movimentação de embarques no país era baixa, já que não havia abertura ao comércio internacional, que ocorreu nos anos 1990.



A partir desse período, os contêineres passaram a ser cada vez mais populares, surgindo a função do agente de carga e todos os grandes armadores do mundo abriram escritório no Brasil, popularizando essa atividade.

Com o aumento de navegações em nossa costa, foi necessário aumentar a quantidade de portos e a maioria acompanhou a revolução digital, fazendo assim um Comércio Exterior mais rápido.

Um dos principais responsáveis por isso foi o projeto porto sem papel, um sistema que automatizou a prestação de informações necessárias à estadia de embarcações nos portos públicos brasileiros.

Dessa forma, passaram a liberar as cargas dos importadores e exportadores sem a necessidade de apresentação de  Bill of Lading (BL).

Quais as diferenças entre o frete internacional marítimo e aéreo?

A conta é simples, o frete aéreo custa até 10 vezes mais do que o frete marítimo para o mesmo item.

Para utilizar o marítimo, o profissional precisa ter tempo hábil para receber a carga, que, dependendo da origem, pode ter um lead time de mais de dois meses.

Quando se importa utilizando as estruturas dos oceanos, há de se prever que o atraso de um ou dois dias é natural.

A carga passará por um maior número de etapas para ser transportada e ficará mais tempo sem que o importador possa acessá-la.

Ou seja, não é possível ter certeza que está tudo correndo bem até que a carga de fato chegue.

Quando se fala em aéreo, será rápido, mais seguro e, consequentemente, mais caro.

A carga fica entre sete e dez dias em transporte e, em uma importação entre países do Mercosul, ela pode viajar de um país a outro em apenas três horas.

Cargas com maior sensibilidade (vacinas, por exemplo) ficam por menos tempo expostas aos riscos da movimentação, cargas de alto valor e que precisam chegar rapidamente para não perderem seu valor, como celulares e eletrônicos, acabam se beneficiando da velocidade do modal aéreo.

Em alguns casos estes podem “valer” 20% menos logo após seu lançamento.

Como funciona o frete aéreo sem tributação?

Aqui temos uma pegadinha. Como o frete compõe o valor aduaneiro, não existe frete sem tributação.

O que ocorre é que há a possibilidade de realizar importações por remessa expressa para pessoas físicas, nas quais o frete poderá ser gratuito.

Assim como naqueles casos em que o importador utilize de Regimes Aduaneiros Especiais, como o Drawback e Admissão Temporária.

Quando o produto for exportado, o que inclui os tributos que incidem no frete, a união abdica do imposto.

Contudo, não há garantias que exportando uma carga seus tributos serão sempre exonerados, já que o Código Tributário Nacional (CTN) é claro em dar à União o poder de tributar ou não, de acordo com a necessidade do país.

Qual o custo do frete internacional marítimo?

O frete marítimo é composto de alguns valores, que podem ser:

  • Frete por si só (Ocean Freight)
  • Combustível (bunker)
  • Taxas de alta temporada (peak season).

É possível que outra taxa de nome diferente apareça acompanhando o frete, mas ela deverá ser considerada como uma taxa local de origem ou destino.

Leia mais: Por que estudar os tipos de pagamento de frete internacional?

Se considerarmos o histórico de mercado, fica difícil lembrar uma época em que os contêineres estejam tão caros, como no ano de 2021. No entanto, com a crise do transporte marítimo e a pandemia de coronavírus,  o frete ultrapassou os US$ 14 mil.

Leia mais: Frete marítimo da Ásia: como está o cenário em 2021? 

Quais são os tipos de frete marítimo?

Ainda que existam diversos tipos de frete marítimo, os mais populares são feitos em:

  • contêineres cheios, conhecidos como Full Container Load (FCL);
  • contêineres parciais, nos quais um consolidador junta diversos importadores em um único contêiner, chamado de LCL (Less than a Container Load);
  • break bulks, que são navios específicos para carregamento de cargas soltas.

Os navios de contêineres são os mais comuns no mundo e atendem rotas específicas já determinadas, com saídas frequentes, normalmente semanais.

Por sua vez, os navios break bulk existem em menor número, podem ter suas rotas ajustadas inclusive durante a viagem para atender um caso específico. É importante mencionar que eles têm capacidade de transportar cargas muito grandes, enquanto os porta-contêineres até conseguem, mas ficam limitados à capacidade dos baús de metal.

FCL: Full Container Load

Full Container Load (contêiner totalmente carregado), ou FCL, é quando o importador ou exportador utilizará totalmente o contêiner, tendo acesso a todo o espaço disponível dentro da unidade.

LCL: Less than a Container Load

Less Container Load (menos do que uma carga de contêiner), ou seja, LCL, é quando o exportador ou importador não possui carga suficiente para preencher um container e vários embarques LCL são consolidados em um contêiner compartilhado

Break Bulks

Break Bulks (carga fracionada) são mercadorias que são acondicionadas a bordo de um navio em unidades contadas individualmente.

Incoterms: o que são?

Os Termos Internacionais de Comércio (Incoterms) acompanham o profissional de Comex por toda a carreira e ganham novas versões a cada década.

É essencial prestar atenção nas siglas, mais especificamente quanto à responsabilidade sobre a carga e pelo pagamento do frete. Hoje, são 11 disponíveis:

  • EXW
  • FCA
  • FAS
  • FOB
  • CPT
  • CIP
  • CFR
  • CIF
  • DPU
  • DAP
  • DDP.

Como cotar de frete marítimo internacional?

Assim como qualquer orçamento, uma cotação é uma estimativa de valores que pode alterar caso a carga transportada seja diferente da cotada. Por isso, o agente de cargas, especialista no assunto, precisa ser munido de todos os detalhes possíveis a respeito da carga.

Para calcular o frete marítimo, o agente de cargas irá precisar de informações simples:

  • Origem e destino da carga (e não adianta mandar “da China para o Brasil”);
  • Peso e dimensões. Ainda que não se tenha o valor final, pode ser usado um valor aproximado ou igual a um processo que já tenha sido feito no passado;
  • Valor da carga. Diversos armadores possuem restrições para cargas de alto valor agregado;
  • Incoterm para saber se o frete será pago na origem ou destino;
  • Necessidade da carga no destino. Com a informação de quando você precisa, o agente de cargas poderá te orientar melhor, inclusive, oferecendo soluções alternativas diante da urgência.

Faça análises aprofundadas do mercado de importação e exportação com a Logcomex 

Quando o assunto é análise de dados no comércio exterior, nosso time é expert!

Temos o propósito de conectar todo o ecossistema do comércio global, desde o planejamento até a visibilidade de todos os processos envolvidos na cadeia logística internacional.

Nossas soluções foram desenvolvidas para que você consiga tomar as decisões mais importantes do seu dia a dia com base em evidências.

Preencha o formulário a agende já sua demonstração gratuita!

Saiba como podemos ajudar a sua empresa!