Metodologias ágeis na Importação: como utilizar?

Metodologias ágeis na Importação: como utilizar?

“Por que usar metodologias ágeis? Nunca tivemos tantas fontes de dados e também tanta velocidade na troca dessas informações como temos hoje”

Na última quinta-feira (22 de outubro), a LogComex realizou o primeiro episódio da série de três webinars sobre Tecnologia e Inovação no Comércio Exterior.

O tema do primeiro bate-papo se concentrou nas metodologias ágeis e sua aplicabilidade nos universos do desenvolvimento de softwares e do comex. 

Juntos, Mônica Gabriella (Product Owner na LogComex) e Marcelo Neves (Head de Produto na LogComex) repassaram todo o seu conhecimento sobre agilidade e geraram um conteúdo rico e cheio de insights para quem se inscreveu.

Se você perdeu, não se preocupe: o Blog da Log reuniu algumas das principais reflexões trazidas pelos interlocutores! Olha só:

Por que ser ágil?

“Agilidade não é sobre velocidade de entrega, apenas”

Aplicar a agilidade nos seus métodos de trabalho pode trazer muito mais vantagens do que apenas realizar entregas mais rápidas. Afinal, o mundo está em constante evolução e as empresas que não se atualizam acabam ficando para trás.

Com a utilização de metodologias ágeis é possível sim ter uma maior agilidade organizacional, mas também reduzir custos, ter um melhor desempenho e uma maior vantagem competitiva dentro do mercado. 

Isso porque, com essas metodologias, pode ser mais fácil visualizar e entender o panorama como um todo, analisando o que está acontecendo e se adaptando aos mais variados cenários.

Para entender como a agilidade pode trazer benefícios para o seu negócio, antes de tudo é preciso entender o que são as metodologias ágeis. Vamos lá?

O que é a metodologia ágil?

A metodologia ágil tem como principal objetivo de otimizar entregas durante o desenvolvimento de um projeto. Diferente de um modelo cascata, em que o projeto só é entregue quando está completamente finalizado, na metodologia ágil as entregas são divididas em etapas — o que permite observar melhor sua evolução.  

A utilização de etapas para a realização de entregas fracionadas possibilita uma visualização mais ampla sobre o andamento do projeto e, assim, permite que o rumo do trabalho seja mais adaptável.

Durante o webinar do último dia 22, Marcelo e Mônica abordaram alguns pontos do Manifesto Ágil, uma declaração criada em 2001 que reúne quatro valores e 12 princípios pensados para o desenvolvimento de softwares. 

E, mesmo que o projeto não seja um software, esses valores são aplicáveis nos mais diversos modelos de negócio. Confira os 4 valores do Manifesto Ágil:

  • Indivíduos e interações mais importantes que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento é mais importante do que documentação abrangente — ou seja, é melhor ter mais entrega do que uma documentação rica. Afinal, o produto final é que vai gerar valor;
  • Colaboração do cliente mais que negociação de contratos. Em vários projetos, perde-se muito tempo analisando o escopo e definindo exatamente o que ia ser feito, para depois serem necessários inúmeros processos para mudar a ideia inicial;
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano.

O modelo ágil, em resumo, pode ser imaginado como maratona de alta performance. Existem diversos modelos e frameworks para se trabalhar essas metodologias e explicamos um pouco mais sobre três deles:

Tipos de metodologias ágeis

Após falarem um pouco sobre o conceito de metodologias ágeis, o webinar trouxe informações sobre três utilizados na LogComex. Olha só:

Scrum

Esse método ágil utiliza o conceito de ciclos para a realização de entregas — também chamados de sprints. Uma sprint pode durar de 1 semana até 1 mês e é marcada por um conjunto de atividades a serem executadas.

Confira alguns termos comuns no Scrum:

  • Sprint: períodos de entrega;
  • Product backlog: lista de funcionalidades para serem desenvolvidas no projeto;
  • Sprint backlog: o que será feito naquela sprint — afinal, sempre no fim da sprint há um entregável.

Ao longo dessas entregas é possível avaliar a velocidade com que elas estão sendo realizadas e, assim, analisar se aquilo que está sendo entregue de fato está fazendo sentido. 

Realizar uma reunião com o time ao final de cada sprint para avaliar essas entregas e possíveis melhorias no andamento do projeto é um dos rituais do método Scrum.

Leia mais: Como o Scrum pode ajudar equipes no Comércio Exterior

Kanban

O Kanban é uma metodologia de análise e gestão de atividades que permite uma visualização ampla sobre o andamento do projeto. 

Basicamente, se trata de um esquema de colunas e cartões, em que as colunas são o status e os cartões são as tarefas. As colunas são divididas, na maioria das vezes, e três etapas:

  • O que precisa ser feito;
  • O que está sendo feito;
  • O que foi finalizado.

Assim, a visualização das atividades pode ser realizada em forma de funil e de maneira fácil por toda a equipe. 

Extreme Programming (XP)

Apesar de ser muito semelhante ao Scrum, o método XP tem maior foco em práticas de engenharia.

Criado em 1997, o XP é voltado para o desenvolvimento de softwares. Possui um conjunto de práticas consideradas positivas, como por exemplo a constante realização de testes.

Case: projeto Search

Para ilustrar toda essa teoria, foi utilizado o case do projeto Search — o software de inteligência da LogComex — criado com base em um produto anterior e totalmente desenvolvido com a utilização de metodologias ágeis. 

Durante a conversa, Marcelo e Mônica explicaram todas as etapas de desenvolvimento do projeto, desde a concepção da ideia (que durou aproximadamente um mês) até a entrega da primeira versão do projeto (que levou mais 3 meses).

Atualmente, o Search possui 5 meses de existência e ainda conta com a utilização de metodologias ágeis para a sua constante melhoria. Já são mais de 150 clientes utilizando a plataforma.

Comércio exterior: por que utilizar metodologias ágeis?

Mônica Gabriella, que atua há aproximadamente 11 anos no universo do comércio exterior, trouxe durante o webinar do último dia 22 de outubro alguns motivos de porquê utilizar a agilidade nos processos do comex. 

O cenário de constantes mudanças na legislação foi o principal deles: 

“Quando me pedem para descrever comércio exterior, sou muito direta em dizer que é uma área burocrática, com muitos processos em que é preciso estar atento a muitas coisas. E o seu processo está totalmente ligado às legislações”

Para ilustrar essa necessidade, a Mônica trouxe à lembrança a mudança nos processos de Exportação com a criação da Declaração Única de Exportação (DUE), relembrando como a comunidade do comércio exterior apresentou grande dificuldade para lidar com a modificação. Mas como lidar melhor com mudanças como essa?

“Analise seus prazos e se pergunte: como eu vou fazer para adaptar meu processo a essa mudança e atender esse prazo?”

De acordo com Mônica, é importante eleger qual tipo de metodologia você irá aplicar nos seus processos pensando sempre em ter mais segurança nos momentos de virada de chave — ou seja, com a menor quantidade de falhas possível.

“Faça testes: pegue processos menores e teste possibilidades daquilo que melhor se encaixa para você”.

Como conclusão, as dicas para aplicar metodologias ágeis e beneficiar os processos no comércio exterior foram:

  • Foque na solução do problema;
  • Quebre as grandes entregas em atividades menores;
  • Ajuste o que pode ser melhorado no ciclo anterior e comece novamente;
  • Entenda o que tem maior valor para seus clientes;
  • Entregue e inspecione periodicamente.

Leia mais: Comex Colaborativo, é possível?

Gostou do conteúdo?

A LogComex está sempre promovendo discussões para que a comunidade do comércio exterior evolua no mesmo ritmo em que a inovação acontece.

Por isso, pensou em uma série de webinars sobre Tecnologia e Inovação no Comércio Exterior para trazer o melhor conteúdo e te ajudar a chegar cada vez mais longe.

Nas próximas edições, você poderá conferir mais informações valiosas sobre esse universo! Olha só o que preparamos:

  • “Conheça o Search: a ferramenta de inteligência para a Importação”: dia 28 de outubro, às 15h30;⠀
  • “Linha do tempo: Evolução do Despachante Aduaneiro”: dia 05 de novembro, às 15h30.

Não perca: inscreva-se gratuitamente!