Saiba o que é Peak Season, como ela afeta o comex e como se preparar para ela

Saiba como se planejar para o Peak Season no comex

No Brasil, estamos acostumados com a lei da oferta e demanda, certo? Um termo bem conhecido, que determina dentro da economia algo que está sendo procurado e oferecido. Como esse equilíbrio está dentro da cadeia do setor, isso pode afetar os valores. Bom, Peak Season é algo parecido.

Vamos explicar mais com mais detalhes neste artigo para vocês entenderem do que se trata e como se planejar no comex.

Acompanhe com a gente na leitura! 

O que é Peak Season?

Em tradução literal, Peak Season significa “alta temporada”. Ou seja, aquele momento de maior procura de algo por conta de uma determinada situação. Justamente o que acontece e o motivo do termo ser usado como referência no comércio global. Assim, Peak Season é o período de altas demandas no transporte internacional. O que significa mais necessidade do que capacidade de mercado. 

O momento está muito atrelado a períodos mais festivos, como em um final de ano, próximo do Natal e Ano Novo. Envolve ainda o período de férias ou até mesmo o Ano Novo Chinês. 



A situação acontece porque nesses períodos o comércio fica mais agitado e, consequentemente, é aumentada a movimentação de cargas. 

Essa realidade atípica acaba trazendo aumento dos valores dos fretes internacionais. O resultado dessa situação é o desequilíbrio entre a oferta e a demanda — como comentamos acima. 

Como consequência, o frete sofre elevação no preço final ou por intermédio de taxas adicionais.

Leia mais: O que é importação de produtos? Entenda mais sobre esse processo

Como a Peak Season afeta os principais modais do comércio exterior?

Quando falamos do transporte de mercadorias importadas, logo pensamos em modais aéreos e marítimos — os principais. Os dois sofrem o impacto direto com a Peak Season. Afinal de contas, com muito a ser transportado e pouco espaço, os preços para o frete acontecer vão lá em cima. 

E isso pode acontecer em diferentes períodos. Durante um ano, são muitas as datas que impactam e contribuem para esse cenário, como as férias em julho e dezembro, o feriado chinês e também o Dia de Ação de Graças americano.

No modal marítimo

No modal marítimo precisamos lembrar de que se trata de navios cargueiros, exclusivos para levar produtos. 

Historicamente, o período entre os meses de maio e junho costuma ser o de maior procura por espaços nas embarcações, estendendo até setembro. Esse período é a Peak Season no modal marítimo. 

Em períodos habituais, e até em baixas, a taxa de ocupação nos navios é de 70% a 80%. Porém, essa taxa salta para 120% nos períodos de maior procura, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). É nesse cenário que um overbooking no setor é causado.

Por isso, especialistas em importação reforçam a necessidade de criação de uma programação de volumes. Com isso, o agente de carga pode alinhar com o setor e adequar essa alocação dos produtos. Tudo isso pensando em custos mais baixos e êxito no envio dentro do prazo. 

No modal aéreo

Já no modal aéreo, o transporte dos itens costuma ser realizado na “barriga do avião” de passageiros.

 As aeronaves cargueiras costumam transportar produtos que os demais não carregam, como cargas muito pesadas. Porém, a frequência é menor que voos de passageiros.

Sendo assim, os aviões que transportam mais passageiros possuem mais frequência, mais destinos e uma relação de custo/benefício mais favorável. Isso tanto para quem importa, quanto para quem exporta a mercadoria. Por isso é mais utilizado. 

Durante feriados e datas comemorativas, consequentemente, mais pessoas buscam por uma passagem aérea para viajar. O espaço do avião será mais comercializado e sobrará menos para os fretes. 

Mais uma vez a oferta (no caso, de espaço) é menor que a procura. Essa equação vai resultar em uma Peak Season, encarecendo o modal, já que a preferência das companhias aéreas é a demanda de passageiros e não frete. 

Uma dica é estudar as companhias e avaliar quais sofrem mais com esse cenário para já se programar e evitar a dor de cabeça. 

Leia também: Frete aéreo internacional: quanto custa? Como funciona?

Consequências do Peak Season

Até aqui conseguimos entender que a Peak Season afeta diretamente o serviço de frete, respingando principalmente no bolso de quem trabalha com comércio global. 

São consequências diretas que complicam a logística e encarecem o serviço como um todo e afetam o mercado no geral, já que o custo extra vai para o produto final.  

Por isso, em tempos de Peak Season, é preciso estar atento com a demanda e oscilação de mercado. 

Somente assim é possível economizar tempo, evitar problemas e não ter prejuízos com gastos extras ou produtos em terra (sem conseguir embarcar nos modais). Em outras palavras: o planejamento adequado evita algumas consequências. 

Aumento dos valores dos fretes internacionais

A alta temporada gera um desequilíbrio de mercado, com mais demanda do que a capacidade de atendimento. Logo, o preço do serviço sofrerá aumento. 

O valor de frete para transportar os itens vai subir rapidamente. Ainda podem haver cobranças de taxas extras durante o período de Peak Season, o que vai encarecê-lo ainda mais.

Leia também: Frete internacional: como calcular?

Falta de espaço

O preço do frete já vai estar mais caro por conta da alta procura. Porém, além disso, existe a preocupação com a quantidade de produtos para os espaços determinados. 

Afinal, são muitos os itens para a área reduzida que precisa atender a todos. O resultado disso é a falta de espaço e muitos produtos ficando presos no solo sem poder embarcar e atrasando a entrega no destino. 

Lembrando aqui que o transporte marítimo é um dos principais modais do comércio exterior, sendo o que atrai ainda mais demanda na Peak Season

Quando é a Peak Season?

Peak Season são altas temporadas em diferentes períodos durante o ano. Como contextualizamos acima, as datas festivas dos calendários dos diferentes países que mais importam e exportam são as que mais afetam o comércio exterior. 

Afinal, este é um período de mais envios, movimentações e procura. 

Como este cenário é comum para quem atua no comércio internacional, quem trabalha na área já entende e afirma que as datas são bem sazonais e se repetem. 

Vamos entender mais sobre elas?

Calendário de datas importantes no Brasil, China e EUA:

Dentro desse calendário estão as celebrações mais comuns de acarretar em uma Peak Season. Então é preciso ficar de olho, se programar e evitar essas datas ao pensar em frete internacional. 

  • Ano Novo — celebrado em 1 de janeiro
  • Carnaval — comemorada por 4 dias seguidos, a data é oficializada 47 dias antes do domingo de Páscoa (que ocorre no primeiro domingo após a primeira lua cheia do equinócio de março)
  • Qingming — feriado chinês festejado de 4 a 6 de abril
  • Dia do Trabalho — celebrado de 1 a 5 de maio no EUA
  • Dragon Boat — festival chinês comemorado de 25 a 27 de junho 
  • Dia Nacional da China/Golden Week/Festival do Meio do Outono — festejado de 1º a 7 de outubro 
  • Abertura da Copa do Mundo — que irá acontecer em 20 de novembro este ano 
  • Ação de Graças (Thanksgiving)— celebrado em 24 de novembro nos EUA
  • Black Friday — festejado em 25 de novembro
  • Cyber Monday — comemorado em 28 de novembro 
  • Natal — festejado em 25 de dezembro.

O que é a Peak Season Surcharge (PSS)?

Em tradução literal, Peak Season Surcharge (PSS) significa Sobretaxa de Alta Temporada. Ou seja, é mais um gasto que as transportadoras aplicaram durante os períodos de mais movimento e demanda. Essa sobretaxa varia de acordo com o tipo de tráfego. 

Devido ao aumento na demanda, menos espaços e aumento de custos, as transportadoras podem acrescentar a sobretaxa a qualquer momento. 

É um aumento no valor do frete imposto pelos armadores do comércio exterior. 

Como se planejar para a Peak Season?

A palavra chave é justamente essa: planejamento! O essencial para evitar dor de cabeça, atraso com prazos e os custos extras que a alta temporada traz. 

Diante de todo esse cenário que apresentamos e as instabilidades deles, ao cogitar importar um produto, é preciso uma gestão eficiente e eficaz. 

É extremamente necessário para o importador planejar como vai trazer os itens de fora e as melhores datas para evitar a Peak Season

É interessante entender como esses períodos funcionam e estabelecer até mesmo parceiros comerciais. 

A divisão da carga também é uma solução a se pensar para que a falta de espaço não seja um problema tão grande. Essa é uma opção para o transporte dos produtos.

Através de conhecimento de mercado você — nosso leitor e importador — vai conseguir visualizar mais esses fatores que causam a Peak Season e, a partir disso, tentar driblá-los para evitar custos extras na logística

Tudo é uma questão de busca por informação e planejamento. Lembrando que, por meio da tecnologia, é possível antecipar cenários e evitar riscos. 

Como a Logcomex pode ajudar?

Duas soluções da Logcomex podem ser úteis para te ajudar a se preparar para a Peak Season

A plataforma de análises do mercado de importação da Logcomex é uma delas. A plataforma permite análises que podem revelar rotas alternativas e descoberta de tendências a partir do estudo do histórico de períodos anteriores, além de ajudar no desenvolvimento de novos fornecedores para suprir a alta demanda na Peak Season. 

Se quiser saber mais sobre a plataforma de análises do mercado de importação da Logcomex, clique aqui e aproveite para preencher o formulário e agendar uma pesquisa guiada.

Já a plataforma de análises de embarques internacionais da Logcomex traz informações precisas sobre os embarques realizados, com a possibilidade de avaliar operações de maneira assertiva.

Incluindo dados sobre transit time, lead time, tipos de carga e contêiner, informações de origem e destino, mercadorias importadas e mais! 

Clicando aqui você descobre mais sobre a plataforma de análises de embarques internacionais da Logcomex e pode agendar sua demonstração gratuita da ferramenta.

1 comentário em “Saiba como se planejar para o Peak Season no comex”

  1. Pingback: Visibilidade: a chave para uma gestão da cadeia de suprimentos eficiente

Comentários encerrados.