Saiba o que é, com funciona e como o Ano Novo chinês afeta a economia chinesa e o comércio internacional

Como o Ano Novo Chinês impacta o comércio exterior?

Trabalhar com comércio exterior envolve uma série de acompanhamentos e atualizações que vão além de conhecer os processos aduaneiros. A peak season — que envolve calendários e feriados, por exemplo — deve ser acompanhada de perto, pois impacta diretamente a rotina de importadores e exportadores. E o mesmo nível de atenção deve se dar às datas comemorativas de outros países, como é o caso do Ano Novo chinês.

Essa data, por sinal, demanda uma atenção imprescindível dos profissionais de comex, afinal a China é o maior parceiro comercial do nosso país.

Leia também: Importação da China: como o gigante asiático vai continuar a dominar o comércio exterior

Diferentemente do Brasil, em que as empresas operam de forma reduzida nos feriados, é muito comum que indústrias e fornecedores interrompam seu funcionamento e só comecem a retomar a produção e o aceite de pedidos depois do hiato da Semana Dourada.

Ou seja, estar a par dessa data com seus clientes e fornecedores é fundamental!



Neste artigo, explicaremos melhor o que é o Ano Novo chinês, os períodos de cada ano em que ele ocorre, como funciona o zodíaco chinês e, claro, de que forma essa data realmente impacta o comércio exterior e a logística internacional.

Boa leitura!

O que é o Ano Novo chinês?

O Ano Novo Chinês — ou Ano Novo Lunar — é a comemoração da passagem de ano de acordo com o calendário lunar, que é seguido na China em vez do gregoriano. Nele, a virada do ano ocorre após a orbitação de 12 ciclos da lua, ou a primeira Lua Nova depois do solstício de inverno.

Este período equivale a cerca de 354 dias, o que dá aproximadamente 12 meses. No entanto, por não estar sincronizado às estações do ano — que se baseiam na rotação da Terra ao redor do Sol — a cada três anos é necessário acrescentar um mês a mais ao calendário chinês.

O feriado oficial dessa data ocorre por três dias, assim é muito comum que os comércios e empresas fechem completamente durante uma semana a partir da véspera da virada. Esse período é popularmente conhecido como Semana Dourada.

Leia também: Fornecedores da China para importação: como encontrar e escolher?

Quais são os 12 animais do calendário chinês?

Os 12 animais do calendário chinês são: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Carneiro, Macaco, Galo, Cão e Porco.

Analogamente, cada ano recebe o nome de um desses animais, respeitando exatamente esta sequência. 

Além disso, também são atribuídos 5 elementos: água, metal, terra, fogo e madeira. Assim, existem 60 combinações diferentes de animais e elementos, criando um ciclo de 60 anos que também é muito comemorado.

Essa cultura de atribuir nomes de animais aos anos está diretamente relacionada com as crenças tradicionais chinesas — mais especificamente com o budismo.

Origem da nomenclatura animal do calendário chinês

Segundo a religião, após definir como seria seguido o calendário, Buda convidou os animais para uma festividade. Mas, somente os doze mencionados acima compareceram.

O rato foi o que chegou primeiro, ao convencer o Boi a deixá-lo subir em sua cabeça para atravessarem juntos o rio (o último obstáculo da corrida).

Mesmo se atrasando por causa do rio, o Tigre conseguiu alcançar o Rato e o Boi, garantindo o terceiro lugar.

Logo após, em quarta posição, chegou o Coelho, se agarrando a um tronco que foi arrastado pelo sopro do Dragão até a linha de chegada.

Aliás, o Dragão precisou apagar o incêndio antes da corrida. Mas foi recompensado pelo Imperador com o quinto lugar por ter ajudado o Coelho.

O Cavalo, que estava a ponto de chegar em sexto lugar, perdeu sua posição para a Serpente, que deslizou entre suas patas e passou na sua frente. 

Já o Carneiro, o Macaco e o Galo se juntaram em um barco para atravessar o rio e, dessa forma, ficaram com a oitava, nona e décima posições, respectivamente.

Por fim, o Cachorro chegou em décimo primeiro pois preferiu se refrescar na água do rio. Enquanto o Porco ficou tão ocupado com o banquete que só apareceu quando a corrida já tinha acabado, ficando assim em décimo segundo lugar.

Para agradecer a participação deles e homenageá-los, o Imperador decidiu nomear os anos com seus nomes.

Qual é o ano de 2023 no calendário chinês?

Como vimos, anualmente um tronco celeste — isto é, um dos cinco elementos, que por sua vez se classificam na categoria yin ou yang — alinha-se com um galho terreno (ou seja, um dos 12 animais do zodíaco chinês).

Gui Mao” é o 40º elemento do ciclo de 60 anos chinês. O que significa que o tronco celeste “Gui” representa a água, enquanto o galho terreno “Mao” é representado pelo Coelho.

Assim, no calendário chinês, que teve o ano novo comemorado no dia 22 de janeiro, 2023 é o ano do Coelho. Sendo que o elemento deste ano é a água.

O que significa ser o ano do Coelho?

Nas crenças chinesas, o Coelho — quarto signo do horóscopo chinês — é o mais sortudo, pois simboliza a longevidade.

Sua essência deriva da Lua e simboliza calmaria, tranquilidade e diplomacia.

Depois de cerca de três anos enfrentando a pandemia de Covid-19, a sociedade chinesa encara 2022 como o ano em que deixaremos de ser amplamente afetados pela doença transmitida pelo vírus Sars-CoV-2.

Leia também: China: demografia, geografia e sistema político

Como o Ano Novo chinês impacta a economia da China?

Como explicamos, o Ano Novo Lunar e a Semana Dourada compõem uma semana muito importante para todos os cidadãos da China. Tanto que comércios, indústria e muitas empresas ficam inoperantes durante esse período.

Mesmo que o feriado oficial ocorra durante três dias, é muito comum que os trabalhadores reservem seus dias de férias para aproveitar a semana inteira.

Tradicionalmente, é um período em que as famílias viajam grandes distâncias para se juntar e comemorar. Também é um período efervescente para o turismo chinês, devido aos festivais tradicionais, desfiles e o Festival das Lanternas.

Nas zonas rurais, essa data também é um marco econômico importantíssimo, pois é uma marca temporal para o início do plantio de arroz — um dos principais produtos de consumo interno e exportação do país.

Como o Ano Novo chinês impacta o comércio exterior e a logística internacional?

A China é uma superpotência econômica internacional, com uma atuação forte nos setores industriais e comércio de tecnologias. 

Dada a importância do país para as balanças comerciais, quem negocia com fornecedores ou exporta para o país precisa fazer um planejamento minucioso para não perder datas.

As empresas de lá, como dissemos, tradicionalmente não aceitam demandas e nem as indústrias prosseguem nas linhas de produção durante o feriado. 

A retomada das negociações, fluxos aduaneiros e produção de mercadorias é retomada somente depois da Semana Dourada.

Ou seja, importadores, mais do que todos, precisam planejar a gestão de estoque de forma a antecipar ou postergar para depois do término do recesso. 

Por exemplo, um dos produtos mais importados da China para o Brasil são equipamentos de telecomunicações, como celulares e seus acessórios. 

Assim, varejistas que atuam nesse segmento devem conversar antes da chegada da data com seus fornecedores para entender se será necessário reorganizar o destino de recursos.

Leia também: Importações da China: como lidar com a instabilidade chinesa?

Como importar da China?

A Logcomex tem um material exclusivo que ensina tudo que você precisa saber para importar da China. Preencha o formulário abaixo e faça o download do e-book!

Gostou do artigo? Já experienciou os efeitos do Ano Novo chinês na sua operação de importação ou exportação? Deixe um comentário abaixo!

3 comentários em “Como o Ano Novo Chinês impacta o comércio exterior?”

  1. Pingback: Logistique: destaques da edição 2022

  2. Pingback: Saiba como se planejar para o Peak Season no comex

  3. Pingback: Redução dos embarques da China para o Brasil e os impactos causados

Comentários encerrados.