Site Loader
Reading Time: 3 minutes

Conheça nesse artigo os principais eventos de importação marítima e como o armador pode influenciar em todo o processo, seja na reserva do espaço dentro do navio ou planejamento logístico.

 

Cotação de frete e taxas

Após a negociação internacional e escolha do fornecedor correto, o importador e exportador contratam um agente de cargas, responsável por intermediar o contato entre as empresas, contratar o serviço de frete internacional e realizar as burocracias e trâmites de toda a cadeia logística.

Uma das primeiras etapas que o agente deve realizar é a cotação do frete marítimo, onde busca atingir o melhor valor e o melhor serviço possível, de taxas de origem, frete internacional e taxas de destino.

Nessa etapa, deve estar bem claro, o incoterm, condições de pagamento e quais serviços o armador ou co-loader devem prestar. Além disso é essencial saber: Peso e volume da carga, ncm/ hs code, dimensões, se o processo será LCL ou FCL e se haverá ou não seguro internacional.

Diversas propostas de companhias marítimas são recebidas e analisadas, o agente opta pela melhor tarifa, ou a que melhor satisfaz a necessidade do cliente, pois nem sempre a tarifa mais barata é a melhor opção. 

 

Booking

O booking ou também chamado de reserva da praça, é a reserva do espaço dentro do navio em determinada data. Para realizar o booking é necessário as seguintes informações:

  • Porto de embarque e desembarque da carga. 
  • Se houver coleta e entrega da carga, as informações do local;
  • Navio e viagem ou data de saída pretendida;
  • Descrição da carga;
  • Peculiaridades: Mercadoria perigosa, há madeira no embarque?
  • Peso e metragem cúbica da carga;
  • Tipo de container;
  • Dados do exportador;
  • Dados do importador;
  • Condição de pagamento: prepaid ou collect;
  • Incoterm;

 

A tabela abaixo foi retirada do site de um armador suíço (MSC), e indica opções de reservas em uma simulação realizada de uma  carga saindo de Hamburg na Alemanha e desembarcando em Santos. Na tabela há as seguintes informações: Navio, viagem, serviço, terminal de origem, tipo de serviço, data de embarque, tempo de percurso do navio (transit time) e data de chegada. Através dessas informações há a realização da reserva da carga em determinado navio.

 

 

Alguns fatores podem influenciar na reserva:

  • Overbooking: Ocorre quando há excesso de demanda, ou seja, há mais cargas para o embarque do que capacidade útil do navio. Como a demanda está maior que a oferta as tarifas tendem a subir, dessa forma é necessário realizar as reservas com antecedência.
  • Omissão de atracação: O armador pode optar omitir determinado porto e não simplesmente não atracar, necessitando a realização de uma nova reserva.

E assim, os trâmites para a coleta da carga na fábrica ou armazém começam e vamos para o 3º passo:

 

Dead line & Emissão das documentações

Após a reserva da praça, o armador informa o deadline, prazo que deve ser respeitado para a entrega da carga e entrega de todos os documentos. Nesse momento, o agente que representa o exportador emite as documentações e solicita a aprovação ao importador. 

O agente contratado pelo exportador, deve emitir a instrução de embarque com base na invoice, no romaneio (packing list) e nas informações sobre o próprio embarque (Se a mercadoria deve ser refrigerada, se a mercadoria é perigosa, se há madeira no embarque). 

O draft do conhecimento de embarque deve ser emitido, ele possui diferente funções em determinados estágios do processo. Pode ser um recibo de entrega da mercadoria, um título de posse e um contrato de transporte. Por isso deve haver a aprovação de todos envolvidos na cadeia.

 

Embarque e follow up

O container é estufado com a mercadoria e embarca no navio, alguns cuidados são necessários na hora do embarque, por exemplo, se o container for refrigerado deve se saber exatamente a temperatura que ele deve estar, para não correr riscos de estragar a mercadoria ou se houver madeira na embalagem, a mesma deve ser tratada e fumigada. 

O acompanhamento e atualização ao cliente final deve ser regular, pois atrasos podem ocorrer por parte do armador, e pode mudar todo o planejamento logístico e atrapalhar as etapas subsequentes.

 

 

Conteúdo produzido por Kauana Pacheco

Criadora da página de conteúdo de comércio exterior, ComexLand, Kauana tem cinco anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós graduação em Big Data & Market Intelligence.

Post Author: LogComex