Quais experiências buscar num profissional para o setor de importação?

Quais experiências buscar num profissional para o setor de importação?

Sua empresa não tem o Comércio Exterior como atividade principal, mas o volume de importações cresceu a ponto de precisar de um setor de importação internamente, portanto, é preciso buscar o profissional com as experiências mais interessantes.
Digo interessantes, e não melhores, pois elas vão variar conforme os objetivos e trabalhos que serão absorvidos pelo setor e o próprio segmento da empresa.
As experiências recomendadas abaixo lhe ajudarão a definir o profissional de importação que sua empresa precisa, para que encontre a pessoa adequada e o setor comece agregando resultados positivos.

 

Experiência PRÁTICA com importação e despacho aduaneiro

Mesmo que o setor comece com apenas uma pessoa, o responsável por ele precisa de experiência prática no campo de batalha.

E você não vai encontrar isso num profissional que tenha graduação e pós-graduação, mas nunca trabalhou e nunca fez uma importação acontecer.
O profissional com experiência precisa dominar, ou pelo menos ter relevante experiência em, atribuições como:

⦁ Passo-a-passo dos procedimentos para o despacho aduaneiro ocorrer com sucesso;
⦁ Análise de documentos, o que é preciso ou dispensado constar;
⦁ Funcionamento de sistemas como Siscomex, Portal Único, Mantra, Mercante;
⦁ Cotação de frete internacional;
⦁ Processo de vistoria de mercadoria em canal vermelho ou com órgãos anuentes; e
⦁ Negociação de valores com despachantes aduaneiros, portos, transportadoras.

Como disse, são exemplos, mas a pessoa que você busca precisa saber trabalhar com todos os envolvidos numa importação e saber como a operação funciona.
E, sim, ela tem que ter bons anos neste trabalho, porque a verdadeira experiência é aquela que quando você perguntar na entrevista:

“Me conte momentos marcantes que você passou nesse trabalho, pode ser de sucesso ou fracasso”.

A pessoa não mostre apenas dados, mas histórias de quem viveu e manja do assunto.

 

 Experiência com o produto

Se alguém te disser que qualquer Despachante Aduaneiro ou Agente de Carga serve para importar qualquer produto: Essa pessoa não entende de comércio exterior! Ignore o que ela diz sobre o assunto.

Produtos como alimentos, cosméticos e brinquedos têm o processo de Despacho Aduaneiro mais moroso, pois precisam da autorização de órgãos anuentes em todas as operações.
Diferente de maquinários e eletrônicos que costumam ter menos órgãos envolvidos, porém você pode precisar que seu profissional entenda de regimes aduaneiros como Admissão Temporária, Ex-Tarifário e Drawback.

Produtos do tipo perigoso (IMO), como carga química ou com pesos e dimensões que dificultem a logística de movimentação e transporte, exigirão experiência com logística nacional e internacional.

Também é essencial o conhecimento técnico dos produtos para traduzi-los e classifica-los fiscalmente, pois esse trabalho deve ser realizado em conjunto com o Despachante Aduaneiro.

 

Experiência em Compras

É uma extensão da experiência com o produto, pois não pode se limitar a conhecê-los apenas no que diz respeito à operação da importação: cada mercado tem suas particularidades para negociar e desenvolver fornecedores, conforme demanda, se o produto é básico ou manufaturado, de onde é comprado e como é o procedimento de compra.

Há manufaturados que a negociação leva meses e produtos básicos podem ser comprados via plataforma digital, mas seus preços mudam o tempo todo.

Mesmo que comprar os produtos não esteja no rol de tarefas do profissional buscado, a experiência dele ajudará seu setor de Compras a reduzir os custos considerando mais fatores além da qualidade e do preço dos fornecedores.

Pois, vale ressaltar, é um erro decidir de quem comprar comparando apenas estes dois aspectos, os custos da importação precisam ser adicionados na decisão.

Como os Incoterms, sabemos como importar com frete incluso (Prepaid) pode ser traiçoeiro ao considerar o país do fornecedor, sua localidade vai influenciar no custo do frete internacional e pode ser que, mesmo sendo mais caro, o Brasil tenha um acordo comercial que compense e reduza um ou mais impostos da importação.

 

Experiência com Inglês

Se quer um profissional para cuidar do setor de importação para que você possa se dedicar aos negócios de sua empresa, a experiência para se comunicar em Inglês será primordial.

Problemas no Comércio Exterior é o que não falta e jamais veremos de tudo, portanto, é preciso Inglês de qualidade para enviar e-mail sucintos e ser capaz de pegar o telefone quando precisar cobrar ou discutir algo fora da rotina.

Considere essa experiência como o 1º filtro para selecionar candidatos e não deixe de testar o Inglês com uma conversa durante a entrevista.

Sei por experiência própria como é difícil encontrar quem domine o Inglês e por isso digo para considerar esta habilidade antes das demais, pois é mais fácil desenvolver as outras qualidades do que aprender o Idioma.

Mas tenha bom senso, não adianta contratar alguém com Inglês fluente e zero experiência prática.

Negligenciando este quesito levará você (ou quem quer que fale Inglês dentro da sua empresa) a ter que se acostumar a ser interrompido para intervir nas importações quando ela sair da normalidade.

Comércio exterior é tranquilo, isso quase nunca acontece. #sarcasmo

 

Onde encontro esse profissional de importação?

Provável que ele esteja mais perto do que imagina.

Talvez esse profissional já te atenda no setor de importação da Trading Company ou do Despachante Aduaneiro que cuida das suas importações.

Essa pessoa deve ter a maioria das experiências que mencionei e já sabe como é trabalhar contigo: Sabe como é seu humor, a hora de te ligar, como te manter informado, como resolver conflitos…

Aqueles detalhes que só o convívio ensina, mas que são tão importantes para o bom clima do trabalho 🙂

 

E você, leitora(o)?
O que achou do assunto? Experiência prática e Inglês são as mais importantes? Quais outras experiências consideraram ao contratar um profissional para seu setor de importação? Como você decide depois das entrevistas?
Vamos continuar conversando nos comentários.

Artigo escrito por Jonas Vieira para a LogComex.